Cuidado com o ibuprofeno, se você fizer exercício

Cada vez é mais habitual, ingestão de medicamentos, como se de gomas se tratasse. No esporte, talvez, o medicamento por excelência, o mais s0corrido, é…

Cada vez é mais habitual, ingestão de medicamentos, como se de gomas se tratasse. No esporte, talvez, o medicamento por excelência, o mais s0corrido, é o anti-inflamatório não esteroide. Para que nos enteremos: o ibuprofeno ou diclofenac de sódio. Chegamos a um ponto que há que leva para acalmar as dores musculares, ou quem faz o próprio antes de uma competição sem sentir qualquer tipo de dor, tão só pelo que possa ocorrer.

Pois bem, esta classe de produtos afetam diretamente as células do intestino, evitando a correta absorção de nutrientes e, portanto, dificultando a recuperação, talvez o fator mais determinante em todo treinamento que pretenda obter melhores resultados do que a simples diversão.

Além disso, conforme foi observado em estudos recentes, podem dificultar a recuperação do tecido conjuntivo danificado, tendões, entre outros, e diminuir a hipertrofia.

Um trabalho publicado recentemente no JournalMedicine and Science in Sports and Exercise registrou quase o dobro de dano em células intestinais quando se ingerían 400mg de ibuprofeno antes ou depois do treino, quando comparada com aqueles que tomaram a mesma quantidade, mas não realizaram nenhum tipo de exercício.

De acordo com os pesquisadores que realizaram o estudo, este efeito potenciador do exercício sobre o efeito prejudicial do ibuprofeno pode ser devido à redistribuição do sangue do intestino para os músculos, pele, pulmões e coração, o que aumentaria a suscetibilidade do intestino às toxinas, por ser este mais permeável. Isto, meus amigos, afetaria diretamente e a prazo imediato para a absorção de nutrientes e, a longo prazo, danos graves do intestino e inflamação crônica.

Além disso, por se fosse pouco, foi demonstrado um efeito prejudicial sobre a recuperação do tecido muscular e conjuntivo (tendões), a longo prazo, ao afetar a regeneração das células satélite, encarregadas de regenerar o tecido conjuntivo. Também reduzem a síntese proteica e aumentam o risco de desidratação e hiponatremia, processo mediante o qual diminui radicalmente a concentração de sódio, elemento vital para o bom funcionamento do sistema nervoso.

Referências:

Mackey, A., Mikkelsin, U., et al. Rehabilitation of Muscle Injury After—The Role of Anti-Inflammatory Drugs. Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sports. 2012. Published Ahead of Print.

Gorski, T., Cadore, E., et al. Use of Aines in Triathletes: Prevalence, Level of Awareness and Reasons for Use. British Journal of Sports Medicine. 2011. 45(2), 85-90.

Wijck, K., Lenaerts, K., et al. Aggravation of Exercise-Induced Intestinal Injury by Ibuprofen in Athletes. Medicine and Science in Sports and Exercise. 2012. Published Ahead of Print.

Comentários

Cuide de sua dieta se praticar desporto

Você não pensou nunca “como eu vou ir ao ginásio que mais dá, se eu como um sanduíche de salpicão ou uns croissants. Total eu vou queimar!”?. Pensar que, para fazer esporte você pode comer o que quiser, é um erro.

dieta-alimentação-nutrição‘Para que vou me controlar, se depois eu vou queimar no ginásio!’. De certeza que sem perceber também tu pronunciaste alguma vez essa frase. E o certo é que não é mau que um dia te vírgulas um croissant ou um sanduíche de salpicão. O problema surge quando essa atitude se torna a regra, e um começa a comer qualquer coisa pelo simples fato de fazer esporte.

Porque você deve comer bem se praticar desporto.

Passar o dia treinando para conseguir seus objetivos e de não fazer caso a sua alimentação é como treinar meias. Para que o corpo funcione corretamente, você precisa receber a energia e os nutrientes necessários. E não é o mesmo fornecer as calorias que necessita, à base de legumes, frutas, produtos integrais ou peixe, que através de pães, pizzas e bacon. Seu corpo, por muito que queira, não funciona da mesma forma.

A alimentação, além de outros aspectos, como o sonho, uma certa recuperação, etc. são o que se chama o treino invisível e você tem que ver como algo mais a ter em conta parte de sua rotina ou o seu planejamento esportiva.

Perder peso.

Se seu objetivo é perder peso, levar a cabo uma alimentação de qualidade é ainda mais importante. Evidentemente, em uma dieta equilibrada, tudo tem seu lugar, por o que comer algum ‘caprichos’ de vez em quando é possível. Mas quando se trata de reduzir as calorias, também há que reduzir os ‘caprichos’: o que não deve fazer é privar seu corpo de outros nutrientes necessários por comer um pedaço de bolo.

Se as poucas calorias que você tem que dar são baseadas em alimentos de má qualidade, nem rendirás nem conseguirá perder peso. O mais certo é que acabar trazendo mais calorias do que necessita, já que esses alimentos costumam ser também alimentos de alta densidade calórica”; ou seja, alimentos que fornecem muitas calorias em pouco volume. E o que buscamos quando fazemos dieta, é o contrário, alimentos de baixa densidade calórica”, como frutas ou legumes.

O prazer de ‘proibido’

Na hora de fazer dieta (para perder peso ou equilibrada), há certos alimentos que você deve evitar se o seu objetivo é comer de forma saudável. E isso não é ruim, pelo contrário, porque lhe dá a oportunidade de desfrutar ainda mais. Já disseram Jordi Cruz, o último desafiado de Men’s Health, ou Jordi Martínez, o diretor da mesma, ter que diminuir ou restringir certos alimentos seguida, faz com que as apreciações mais quando você os come. Ou será que me dirás que curte o mesmo evitar uma pizza cada dia ou fazendo uma semana depois de estar treinando ao máximo?

Comentários Facebook

Questão de luzes – Titãs do Deserto

Fazer esporte em meio natural envolve a fusão com o meio, ser consciente das mudanças, dos tons, da temperatura, das primeiras…

Fazer esporte em meio natural envolve a fusão com o meio, ser consciente das mudanças, dos tons, da temperatura, das primeiras luzes do amanhecer, de calcular a hora do anoitecer, saber escolher o equipamento, a empresa, o casaco… Há muitos anos, um amigo e grande mestre me ensinou que a lanterna frontal é uma das coisas que nunca deve faltar na bolsa tiracolo. Nem as pilhas. Você Nunca sabe o que vai acontecer lá fora, nem a que horas você vai chegar ao bom retiro.

Apesar de que eu acho queos melhores momentos de uma viagem noturna são aqueles em que se pode permitir o luxo de desligar seu frontal, de esperar que as pupilas se adaptem à escuridão antes de continuar, através da floresta, afastando galhos, pulando raízes, intuindo a erosão graças a um sexto sentido e a experiência de muitos tropeços, ou subir uma ladeira nevada, sob a luz da lua cheia, que ilumina o mundo da noite como se de um quarto de paredes caiadas de branco se tratasse, o frontal com pilhas –sem eles, de pouco serve– é uma ferramenta imprescindível para movimentar-se no mundo das trevas, esses lugares tão especiais desprovidos de lâmpadas, neons, luzes brilhantes ou portais iluminados.

De um tempo a esta parte, as lanternas passaram a chamar-se focos; as mini-lâmpadas agora são LEDS; e as pilhas de petaca agora são baterias de lítio recarregáveis. Longe vão os frontais PETZL Zoom, que no final dos anos noventa nos pareciam a lanterna definitiva. Logo apareceram os frontais de LEDS, mas para pedalar com segurança não eram poderosos o suficiente.

Lembro-me de algumas tentativas de se transitar de bicicleta com os focos da época, que mal alcançavam um par de metros de distância com a sua fraca e amarelada luz, pela estrada local que une Horta e Cerdanyola del Vallès, cruzando Collserola. Os motoristas que circulavam em sentido contrário ao meu, em curva, invadiu meu trilho, pois, ao não perceber nenhum feixe de luz de carro, moto ou caminhão insinua-se após a curva, decidiram levá-la recortándola, propinándome um susto de pseudo-morte.

Decidi que deveria tentar ir pelos caminhos, mas meu foco era totalmente insuficiente. E o dei por impossível.

NOVIDADES IMPORTANTES
Há cerca de três anos, em troca, sim existe oferta de focos poderosas o suficiente para praticar mountain bike por toda classe de caminhos com a mesma segurança que a luz do dia.

No ano passado tive oportunidade de experimentar uma Lupine Wilma 6 em 24doce de Lisboa e este ano tenho estado em Trek 12 Wild Wolf Séries de são paulo com o Half Egg 900 Natural Shine. Em ambos os casos, o poder da luz é incrível. De fato, marquei os mesmos tempos das voltas noturnas que as diurnas, e nas áreas de trilhas a iluminação é tão completa que lhe permite ver todos os contrastes do terreno, até te ajuda a ir mais concentrado.

Há alguns dias, treinando Collserola, o anonimato da noite eu ninguém por uma trialera que nunca havia passado –está ao lado da Estrada de lhes Aigües e a essa hora, tinha jogo do Barça e fazia um frio horrível, então eu pensei que os guardas florestais estariam em casa vendo pela tv– e pude comprovar que o feixe de luz é tão poderoso com os mais de 900 lúmens do Half Egg podia subir e descer por aquela caminho sem problema. Quem os tivesse pego no final dos anos noventa! Quantas horas no trem, eu teria economizado!

No mais sombrio do bosque de Collserola, o foco me iluminando perfeitamente quase 30 metros de percurso pela frente do guidão. Tentei fazer algumas fotos da área iluminada, mas não ficaram muito bem (a câmera de bolso que levei não captava a luz real). Eu recomendo este blog para ver o efeito real dos focos modernos e ter mais informações sobre eles: elblogdesantacruzblur.

No mesmo blog, há outro link muito interessante intitulado esclarecimento sobre a duração das baterias.

E no vídeo abaixo, exatamente no minuto 2 20 segundo, você pode ver a diferença entre levar uns holofotes potentes, ou ir com uma simples lanterna. Fazendo um paralelismo, a diferença viria a ser a que há entre levar as longas no carro ou as luzes de posição.

Comentários Facebook

Quatro erros que se afastar de seu objetivo

O treinamento em sala de fitness e levar um tempo desanimado ou chato? Você perdeu a confiança e se está a pensar deixar o seu treino? Você está cansado…

desmotivacion2 você Treina em sala de fitness e levar um tempo desanimado ou chato? Você perdeu a confiança e se está a pensar deixar o seu treino? Você está cansado antes de começar o treino ou ao pouco tempo de começar? Então, é provável que você esteja sofrendo de estressemental e emocional, o que influencia negativamente no seu desempenho físico.

Em primeiro lugar, deverá localizar os motivos que levaram até esse ponto:

1. Seu treinamento é monótono.

2. Sua carga de treinamento é excessiva e prolongada.

3. Seu estilo de vida fora do treino é contrário ao desportivo.

4. Seus objetivos não estão bem definidas.

A prática de exercícios com sobrecarga até a falha muscular é muito comum. Isso pode ser muito benéfico para aumentar sua massa muscular, mas se esse treino é feito com muita frequência, pode diminuir a concentração de testosterona em suspensão e provocar um esgotamento físico e mental. Qual a solução? Se você treinar até a falha muscular, faça isso durante 6 semanas e, em seguida, realiza alguma semana de download.

Se o seu treinamento é baseado em pesos livres, roldanas e máquinas, pode chegar a ser monótono e provocar tédio, falta de motivação e estagnação físico, tudo o que poderia fazer com que tirases a toalha mais cedo do que tarde. Para evitá-lo, altera temporariamente o seu programa, incorporando novas técnicas de treino em suspensão, com plataformas que geram instabilidade, reatores… O objetivo é gerar estímulos novos, mas igualmente exigentes. Sua musculatura e sua mente se beneficiarão destas novidades com um melhor desempenho físico e sentindo interesse em realizar a nova tarefa.

Pode ser que você treina duro, mas para que essa atividade seja benéfica, para alcançar seus objetivos e seguir a vontade de participar com o seu esporte, o tempo que passa fora o ginásio deve ser igual ordenado que o seu treino. Por isso, uma boa alimentação, um estilo de vida saudável e o sono adequado devem ir de mãos dadas de seu treinamento. O sucesso é a integração de todos estes fatores. Se não os integrando todos, não o conseguirá.

Por último, certifique-se de que seus objetivos sejamrealistas. É dizer, que você pode obter em um tempo razoável. Também é fundamental que sejam mensuráveis para que você possa ir evaluándote.

Por que é tão importante sempre manter alta a sua motivação? Porque te dá uma injeção de energia, seja para iniciar-se no âmbito desportivo ou para começar um novo desafio; para mudar alguns de seus hábitos por outros mais saudáveis, e para manter esse estilo de vida, a fim de continuar a melhorar. Se desperdicias essa energia com esforços excessivos e não se organizar corretamente, você agotarás e você pode sofrer de stress, esgotamento físico e emocional, baixa auto-estima, frustração, abandono do exercício e até mesmo lesões.

Bibliografia

Nível de Bournout e Desempenho Esportivo (1999). Em, E. Cantão Chirivella , Motivação e sua aplicação prática no esporte (pp 91-100). Valência: Editorial Promolibro

Jeffrey M. Willardson, Gabriel J Wilson e Layne Norton (2010). Treino até a falha e para além dos programas convencionais de exercícios com sobrecarga. Extraído a 2 de Setembro de 2014, a biblioteca multimídia http://www.g-se.com

Facebook Comments