Às voltas com a hipertrofia muscular transitória

“Tomara que meu corpo ficasse assim para sempre”. Quantas vezes você terá tido pensamentos semelhantes a este, ao acabar de fazer um treino de hipertrofia…

hipertrofia transitória“Tomara que meu corpo ficasse assim para sempre”. Quantas vezes você terá tido pensamentos semelhantes a este, ao acabar de fazer um treino de hipertrofia muscular? E a verdade é que manter o inchaço muscular típica após o exercício é, digo-o eu, impossível a curto prazo. Mas calma, para isso que estou aqui: para explicar em que consiste a hipertrofia transitória e de que maneira ele pode se transformar em crônica.

Dizemos que a hipertrofia transitória é o “inchaço” do músculo para o final do treino de força ou logo após o mesmo. É momentânea, passageira, dura pouco e é transitória. Quando você está treinando em intensidades submáximas (80-85% de sua força máxima) das fibras musculares envolvidas nos movimentos que estiver realizando sofrem uma destruição celular e, como conseqüência, fluidos saem de dentro da célula para o espaço intercelular (entre as células). Isto é o que provoca esse inchaço e falsa hipertrofia em essência. Pouco tempo depois de ter treinado, menos de 1h, o nosso organismo utilizado o equilíbrio interno e começa a recuperar os fluidos expelidos acima de dentro da célula e, por consequência, será o inchaço.

De qualquer forma, fique tranquilo. Ao final, o corpo sempre se adapta aos estímulos (exercícios) que recebe. Portanto, você terá uma hipertrofia crônica a base de muitas transitórias. A hipertrofia crônica é aquela que gera as adaptações seguintes:

  • Sarcoplasmáticas: Aumento da substância semifluida dentro das células musculares.
  • Miofibrilares: Aumento do tamanho e da criação de novas microestruturas dentro da fibra muscular. No final, quando treinamos, nós quebramos as microestrucuturas de uma fibra e, como adaptação, o nosso organismo cria mais para ocasiões futuras, se protege. Ao final, tenta sobreviver às agressões que vêm dadas pelo nosso treinamento. É importante ter claro que o que se criam são novas microestruturas dentro da fibra muscular, mas nunca se criam novas fibras musculares. A hiperplasia, a dia de hoje, podemos dizer que não existe em adultos.

Então, se você quiser aumentar de tamanho, treina e cada vez, vê gostando mais de esses inchaços no ginásio, mas se você quer que se torne crônica, permanente, não pares de fazê-lo pelo menos três vezes por semana e descansando de um dia entre treinos, mas de pouco servirão. E, é claro, não se esqueça de correr e fazer outras atividades, o corpo é um todo e a força não é a única qualidade física básica.

A ponto para o Montsec de l’Estall

As muralhas naturais de Finestres na foto olhar, mas, na realidade, parecem de outro mundo Ontem Jordi Calsina (do clube Open Natura) e eu estivemos…

As muralhas naturais de Finestres na foto olhar, mas, na realidade, parecem de outro mundoAs muralhas naturais de Finestres na foto olhar, mas, na realidade, parecem de outro mundo

Ontem Jordi Calsina (do clube Open Natura) e eu estivemos dando voltas e mais voltas ao percurso da rota de 2 dias que preparamos para 40 sócios do clube no final de maio, a montanhosa, remota e isolada região do Montsec de l’Estall.

A área da descobri há 2 anos, durante uma viagem de bicicleta entre o Delta do Ebro e o Aneto e embora tenham mudado alguns caminhos (hoje convertidos em pista) o reconhecimento in situ nos permitiu descobrir um par de percursos alternativos por caminhos que lhe dão um toque mais aventureiro ao curso.

Será um fim-de-semana exigente, mas generoso em paisagens e experiências, redescobrindo uma área pouco movimentada, cheia de caminhos e trilhas que levam até aldeias abandonadas e ermidas românicas penduradas do alto das muralhas de rocha. No total, faremos 95 km com 2.400 metros de desnível positivo acumulado, distribuídos entre no sábado, 29 de maio e 30 de maio, parando para comer, para descansar em vários pontos de grande beleza e dormir no albergue de Montfalcó (o que pudemos ver por dentro, e a verdade é que mais do que um albergue parece um hotel…), a 3 minutos a pé do melhor miradouro da Montsec e o Congost de Mont-rebei.

Na praça de Finestres, um dos pequenos povoados abandonados por onde passa a rota, nos espera o primeiro abastecimento.

Afilosofia da atividadeé “desfrutar do mountain bike descobrindo um território”. Não é uma corrida. Iremos em grupo, parando para ver as coisas, a saborear a paisagem, tirar fotos… Tem que estar em forma, mas vamos leves, pois nos levará a bagagem a Montfalcó e nos montados postos de refresco para que não nos faltem nem água nem açúcar.

Só me resta dizer que será um prazer guiar por esta comarca de tão especial. Espero vocês todos, todos. E todas, todas.

Para mais informações e inscrições: Rota Montsec de l’Estall ou ligando para Jordi Calsina ou Dani Abril os números 650 94 40 78 e 650 94 40 76.

Comentários FacebookSergio Fernández TolosaEscrito por Sergio Fernández Tolosa

Jornalista, aventureiro, escritor & “bunda de mau lugar”. Barcelona, estabeleceu-se no bairro de Gràcia, mas nômade por natureza. 42 anos. Gosta de ler, correr, pedalar em todos os lugares, subir montanhas, olhar mapas, realizar as viagens que sonha… A aventura que mudou sua vida? Atravessar de bicicleta, e na paciência os sete desertos maiores e mais emblemáticos do mundo: Austrália, Atacama, Mojave, Namibe, Kalahari, Gobi e do Sahara. Pedaleó 30.000 km durante quatro anos e aprendeu que os desertos são mais do que lugares vazios e planícies inertes. Todas as suas peripécias aparecem no livro 7 desertos com um par de rodas, com mais de 200 fotografias que ele mesmo fez durante as sete expedições. Este blog que começou quando ele se preparava para participar da Titan Desert compartilhando tandem com o castelhano. Superado o desafio, surgiu um outro, e depois outro, e mais outro… e aqui ela nos conta. Seu web site pessoal é www.conunparderuedas.com

9 erros que comete ao perder peso

Há pouco mais de dois meses que as férias de verão terminaram para muitos. Até há pouco tempo, mesmo que ainda muitas pessoas vivem da lembrança…

Há pouco mais de dois meses que as férias de verão terminaram para muitos. Até há pouco tempo, mesmo que ainda muitas pessoas vivem da lembrança de tudo o que viveram, em Agosto. Mas agora, já engajados de corpo e alma na temporada profissional e obrigações pessoais, aumenta o estresse e a pessoa começa a pensar no que se fez algo no ginásio, por pouco que seja, já se deve notar a estas alturas do ano. Mesmo os que não tenham começado, pensam em coisas como começar qualquer dia a furar espancamentos desumanas de duas horas por dia em uma academia de ginástica, fazendo aulas de spinning ou correndo no parque mais próximo de casa. Em seguida, vou explicar porque esse comportamento, junto a outros oito, é um crasso erro ao tentar perder peso.

Pensar em perder peso

  • Você não deve pensar quanto pesos, se não, de que pesos. Concentre-se em reduzir o seu % de gordura, gradualmente, mês a mês, adquirindo bom hábitos de exercício físico e alimentação. Uma vez adquiridos os hábitos, a sua tendência será chegar ao seu peso ideal, com um % de gordura ideal e gozar do bem-estar próprio de cuidar da sua saúde, mais cedo ou mais tarde.

Obsesionarte com a balança

  • O seu peso pode estar condicionado a vários fatores, se você obsesionas pela balança. Por exemplo, se você está perdendo gordura e ganhando massa muscular em vez do seu peso absoluto não será um bom indicativo de melhora. Pode afetar a hora do dia a que se pesos um dia ou outro, se você refeição antes ou não, se o fizer com roupas ou nu, entre outros fatores. Pésate sempre nas mesmas condições e não o faça de cada dia. Você pode fazê-lo a cada 15 dias ou até mesmo uma vez por mês. Se o seu peso diminui, porque seus hábitos de vida são melhores, o seu peso irá diminuir ou sim, independentemente dos fatores que eu citei antes. Antes que obsesionarte com o seu peso deve ter em conta, também, que o peso não é o único parâmetro em que você deve estabelecer. Aconselho-Te que primeiro se colocar no bem, que você se sinta fazer exercício, na melhora da flexibilidade, força nos exercícios, resistência, equilíbrio, coordenação nos exercícios e tolerância ao esforço. Pode também medir a sua frequência cardíaca em repouso, o que irá baixando se és regular treinando ou na redução de seu perímetro do quadril, abdome, braços, pernas.

Passar de 0 a 100, ou, o que viria a ser o mesmo, de não sair de sua poltrona, a pretender treinar duro cada dia

  • Os hábitos se adquirem pouco a pouco e trazándote objectivos realistas. Se seus objetivos são muito ambiciosos, a única coisa que conseguirá será frustrarte e, por último, abandonar a prática de exercício. Mesmo que você não deve pretender passar de alimentarte muito mal, a fazê-lo completamente bem, no dia seguinte. No treinamento, há dois princípios de treino que você não deve ignorar. Estas coisas são o princípio de carga progressiva e de estímulo eficaz. E são tão lógicos que não querem dizer outra coisa:você Deve começar com a dose mínima de exercício físico (para a intensidade adequada) e ir subindo, pouco a pouco, quando o corpo se solicitado. Começa por tirar dois dias por semana, 1 h entre o total de aquecimento, parte principal e volta à calma por sessão. Depois de um mês, sobe para três dias. Com três dias, bem planejados, você terá o suficiente. Por outro lado, dir-te-ei que o Colégio Americano de Medicina Esportiva (ACSM) aconselha 3 dias de exercício cardiovascular, vigoroso e 2 de força por semana. Pouco a pouco, pode ir aumentando os dias e ir implementando os hábitos de exercício físico saudável à sua agenda. Lembre-se que deverá ser a sua saúde e o equilíbrio e, em seguida, todo o resto.Você deve realizar exames médicos e saber quais são suas intensidades de esforço atuais. A partir daqui, aconselho-te que uses treinos tipo (HIIT), mas tendo em conta as suas intensidades de esforço atuais, sem excederte.

Pensar no que não bajarás de peso se não sentes

  • Perder peso ou melhorar a sua composição corporal (%de gordura vs músculo) não deve ser às custas de ações restritivas, monótonas e que não possa implementar para sempre. Se o que você come não gosta, se o treinamento que você se cansar, nunca conseguirá adquirir bons hábitos. Portanto, tenha paciência e, se quiser agora encoste-se de um profissional da dietética e da nutrição e outro do exercício físico e a saúde, por exemplo, para que vá enseñándote como introduzir alimentos saudáveis e pouco a pouco, ou para que um profissional do treino te ensina os métodos de treino que se sentem bem em suas características pessoais e, acima de tudo, que se divirtam.

Você pode fazer muito, com ações simples, fora de seu treinamento

  • Não se esqueça que, além de treinar, pode-se fazer coisas tão simples como:Subir as escadas no lugar de pegar o elevador.Baixar uma paragem antes do seu destino no autocarro ou de metro.Ir de bicicleta em vez de carro.Se não, você pode ir em bicicleta, que vê o trabalho em transporte público e, para voltar, fazê-lo a pé.

Ignorar o princípio de formação de regularidade

  • Os treinos isolados, por árdua que seja, não te levará a lugar nenhum. Sei regular treinando a cada semana. Duas ou três vezes por semana.

Centrar a sua formação nas longas sessões cardiovasculares

  • Fazer exercício aeróbico (média-baixa intensidade) está muito bem para uma fase inicial de mudança de hábitos com o exercício. Pode mesmo estar muito bem para qualquer momento se quiser variar o seu treino e de seguir fundamentado, combinando-a com outros dias de exercícios de força. Você pode também servir como um trabalho regenerativo depois de mais um dia de treinamento intenso de força anterior. Mas tenha em mente que, se você tem pouco tempo, ficou demonstrado há muitos anos (desde 1900-1930 concretamente) que o treino curto interválico de alta intensidade (HIIT), dá melhores resultados que o exercício cardiovascular (aeróbico) de longa duração. Fica demonstrado também por vários estudos com evidência científica, que os treinos curtos e intensos geram maior adesão ao exercício, que os de baixa intensidade e longa duração. Além disso, se você tem excesso de peso excessivo, entrar a correr duas horas por dia nunca será a sua melhor opção no início. Isso. Se a sua agenda permitir, claro.

Treinar apenas as partes de seu corpo que você não gosta

  • Se você quer ter uma barriga lisa, não concentrar-se em fazer “2000 abdominais” a cada dia. Um bom planejamento do treinamento contempla o exercício físico de todas as partes de seu corpo. Além disso, nem sequer há necessidade de que você faça exercícios separando partes de seu corpo, como os braços, abdominais ou o que você quiser. Pode realizar exercícios globais como thrusters, flexões de braços, remos no TRX, entre muitos outros. Treine todo o corpo, em cada sessão, a intensidade adequada às suas características e seu corpo queimará mais calorias durante o treino e, nas 48h após. Muita opção melhor do que matá-lo para abdominais a cada dia.

Em treinamento para a saúde, as bebidas isotónicas não são necessárias

  • Treinar 3 vezes por semana, 1 hora por sessão, por intensa que seja a sua sessão, não é suficiente para ter que ingerir bebidas isotónicas. Tranquilo, você está fora de qualquer perigo. Bebe água.

Para terminar, se você tem pouco tempo por ter uma agenda apertada (algo normal em uma sociedade em que vivemos) e não gosta de se inscrever para um ginásio, não posso deixar de recomendar o meu novo livro: “Os 30 Malditos”. Um livro que tenho escrito, dentro de casa (Men’s Health Portugal) em que você encontrará:

  • Uma metodologia com exercícios fáceis que todo mundo conhece.
  • Exercícios com o próprio peso do corpo (sem material).
  • Sessões de treino curtas (30′ aprox. no total).
  • Um método que não entende de espaço. Pode realizar em qualquer rlugar onde caiba o seu corpo esticado.
  • Uma metodologia que prevê que, talvez, você quer iniciar seu processo de mudança treinando com alguém e, por isso, te proponho como realizá-lo por casais. Embora com diferente nível.
  • Uma forma de alimentarte, de maneira geral, de forma saudável e que te ajudará a cumprir seu objetivo de melhorar seus parâmetros de saúde e, como consequência, a sua imagem.

9 chaves para acabar com a obesidade

Como especialista em Ciências da Atividade Física e do Esporte, não posso deixar passar a oportunidade de contribuir com o meu grão de areia…

obesidade-dicas-menshealthOK

Como especialista em Ciências da Atividade Física e do Esporte, não posso deixar passar a oportunidade de contribuir com o meu grão de areia para as grandes esquecidas de nossa sociedade, as pessoas obesas. Estamos invadidos por mensagens de muitas marcas esportivas que nos induzem a bater tempos em corridas ou, apesar de ter um corpo normal, ter um corpo 10. Mensagens para muitas pessoas, mas não para as pessoas obesas. A nossa forma de vida actual em sociedades de países desenvolvidos fez com que o sedentarismo, o estresse e os horários infernais de trabalho fazem com que façamos menos ou nada de exercício físico e ingiramos produtos de alta densidade energética e de baixa qualidade nutricional, como, por exemplo, produtos ricos em gorduras não saudáveis e ricos em açúcares. A partir de aqui vou expor de forma simples e breve que é a obesidade, as consequências para a sua saúde e o que deve fazer para mudar para uma vida saudável de forma progressiva e contínua. De todas formas, avisando que a obesidade pode ter a sua origem em vários fatores. Por isso, nem mesmo lendo as ações bem documentadas que te proponho neste post, não se mexa sem consultar antes um profissional de saúde que dirija seus atos seguintes, e que talvez combinem com as que te proponho.

O que é obesidade?

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde (oms), a obesidade é uma patologia que se define como uma acumulação excessiva de gordura que pode ser prejudicial para a saúde. Além disso, a OMS concreta em que uma pessoa obesa é a que tem um IMC (Índice de Massa Corporal) igual ou superior a 30. De entre as três pernas importantes da saúde (equilíbrio físico, mental e social), a obesidade desequilibrar a balança no físico, que acaba afetando o mental (baixa auto-estima) e a social (dificuldade para ser aceito, podendo causar rejeição e, portanto, dificuldade para se relacionar em qualquer nível).

A obesidade, em números

  • O professor Popkin, da Universidade da Carolina do Norte, disse que, no ano de 2006, havia mais pessoas com sobrepeso no mundo do que pessoas que sofrem de desnutrição. Dado, quanto menos assustador.
  • A Federação de Diabéticos Espanhóis diz que, atualmente, 1 em cada 6 pessoas em Espanha são obesos e, um de cada dois têm excesso de peso.
  • Em 2014, mais de 1.900 milhões de pessoas, a nível mundial, de 18 ou mais anos tinham excesso de peso, dos quais, mais de 600 milhões eram obesos.
  • Em 2014, em torno de 13% da população mundial) eram obesos.
  • Em 2014, 39% dos adultos de 18 ou mais anos tinham excesso de peso.
  • A prevalência mundial da obesidade foi multiplicado por mais de dois entre os anos de 1980 e 2014.
  • O que foi um célebre filósofo, Platão (século V-IV a.C.), já associava a obesidade com menos esperança de vida.
  • Segundo a revista científica britânica “The Lancet” a população mundial passou de ter 105 milhões de pessoas obesas a 641 milhões, em 4 décadas. Se mantida essa tendência, no ano de 2025, a quinta parte da população mundial será obesa.

Possíveis consequências da obesidade

Os principais problemas têm relação com o aparelho locomotor, especialmente osteoartrite, uma doença degenerativa de suas articulações que segue uma tendência para diversos problemas na hora de sair. Te resta capacidade de mover-se bem, com as dores que acompanham o fato de ter lesões deste tipo. O excesso de peso aguda recai sobre as suas articulações como um martelo que vai batendo cada vez mais difícil, especialmente nas ancas, joelhos e tornozelos, que acabaram repercutindo na sua postura e, consequentemente, em todas as articulações do seu corpo (Incluindo as do trem superior).

Outros problemas podem ser a diabetes, doenças do coração e acidentes vascular cerebral, diminuição do metabolismo basal (seu corpo vai gastar menos calorias em repouso, em indivíduos obesos é o estado permanente e habitual.

Aqui vão as 9 chaves para iniciar a mudança de hábitos e para romper com a obesidade

Deixe-se guiar por profissionais

Vale a pena, de verdade deveria ser uma condição para você realizar um check-up com os profissionais do exercício físico para a saúde. Como mínimo, recorre a um médico desportivo, um nutricionista nutricionista e um personal trainer profissional. E se você tiver a oportunidade, não sabe de quanta ajuda você pode servi-lo de ir a um psicólogo especialista no seu caso. Além disso, você vai se sentir no seio de um grupo que quer ajudar. E lembra-te sempre, os bons profissionais não falam fora de suas competências. Se você tem auto-estima baixa e quer melhorar para isso, recorre a um psicólogo. Se quiser medir seu limite cardiovascular, que deve, recorre a um médico. Se te dói o joelho, procure um fisioterapeuta, mas não confie em uma pessoa que pretenda orientar em tudo. Cuidado com a ler livros, cada um entende o que quer. Cuidado com as afirmações categóricas e radicais que isolam conceitos e ampliam a tal ponto que se dão a solução mágica. Cuidado com a ler livros que isolam conceitos e ampliam a altura de verdades religiosas. Deixe-se aconselhar por um profissional que tem lido nos livros, mas que tem experiência no seu caso e que sabe extrair o melhor de cada um deles para aplicá-lo à realidade.

Duração e intensidade do exercício

Tómatelo como uma corrida de fundo. É sabido que hoje em dia o exercício físico de curta duração e intenso (HIIT), seja em forma de exercícios de força (flexões, agachamentos,…) ou em forma de exercícios cardiovasculares (andar de bicicleta, nadar, elíptica,…), é muito mais eficaz do que o longo exercício de baixa intensidade. Mas também sei que a realidade, em algumas ocasiões, difere dos estudos científicos mais avançados. Minha experiência me diz que, quando uma pessoa obesa quer começar a fazer exercício físico, não deve ter a sensação de falta de ar ou de sofrimento excessivo, mas ele tem muitas número de abandonar. Então, se a sua atividade inicial é caminhar 30′, 4 dias por semana, com roupa esportiva e caminhos da agremiação e contar o número de passos, faça isso em uma primeira fase. Só o fato de ir a uma loja para comprar caminhos da agremiação e registrar em uma liberta o número de passos que ganhou e as pequenas introduções de mudanças em sua alimentação, já é um sucesso. Pouco a pouco, o teu corpo se vai adaptando, você estará mais motivado e, em menos de o que você acredita, você pode realizar exercícios intensos. Primeiro você deve simplesmente começar, em seguida, ir ampliando o tempo a uma intensidade baixa, em seguida, uma combinação intensidades altas e médias durante menos tempo do que o estipulado para conseguir resultados e, por último, e quando seu corpo estiver mais adaptado, ampliarás o seu tempo de exercício em intensidades mais altas.

Dormir pouco engorda

Relaxa e dorme, os resultados, com constância e uma boa orientação, acabam chegando. São já vários os estudos científicos que relacionam dormir pouco (menos de 6 horas por dia), com a tendência para a obesidade. Isto é devido a que se dorme menos aumentar o seu apetite, principalmente em alimentos ricos em gorduras e açúcares. Sua secreção do hormônio da saciedade, a leptina, diminui e aumenta os níveis de grelina, hormônio com a função da sensação de fome. Por outro lado, se você dorme menos, você está mais cansado e com menos vontade de fazer exercício físico e, pelo contrário, com mais vontade de realizar atividades sedentárias como ver TELEVISÃO. Da mesma forma, se você dorme menos, você terá mais horas por dia para comer mais e com tendência a ter mais vontade de alimentarte com alimentos ricos em gorduras e açúcares.

Mede o seu progresso

Com uma máquina de bioimpedância você poderá medir seu peso absoluto e o seu % de gordura e com uma fita métrica poderá medir seus perímetros (braços, peito, região abdominal e pernas). Seu ritmo cardíaco vai-te mostrar com dados que a sua Freqüência Cardíaca em Repouso diminui mês a mês. Em uma análise de sangue verá o seu progresso com os parâmetros que você tenha que melhorar. Inscreva-se em um caderno o que você faz, seja em número de passos quando eu te tocar, metros, quilômetros, número de flexões, eu invento ou número de flexões de braços. Você vai ver como seus registros e também melhoram semana a semana e isso vai motivá-lo. De todas formas, veja antes com um profissional como autoevaluarte se você não tem a possibilidade de recorrer a diferentes profissionais regularmente. Investir em profissionais é o mais barato que você pode fazer. Talvez, e se a sua situação se permite, primeiro você deve poupar para investir. No máximo, para evaluarte e executar certos seguimentos, contando com os profissionais da saúde pública, não te custará muito.

Não exceda os limites que lhe marca o profissional

Você não deve Nunca exceder os limites marcados por qualquer profissional de saúde. Por exemplo, se a sua Frequência Cardíaca Máxima foi estimada através de uma prova de esforço em “X” pulso, leva um monitor de freqüência cardíaca contigo e não rebases essa marca, jamais. Se um profissional te disse que não faça mais de “x” passos quando você toca caminhar durante a próxima semana, não os rebases. Tenha paciência, tudo chega. O profissional de saúde tem um leque muito amplo de variáveis que lhe podem escapar, faça caso.

Evita os exercícios com impacto

Se você começar a correr sem ter trabalhado a musculatura adormecida durante anos (o cérebro tem amnésia das partes que não usa) e somar o excesso de peso que você tem, você pode se ferir, mais cedo do que tarde. Antes de correr te proponho atividades como a elíptica ou a natação. Pode também experimentar os exercícios de força no ginásio ou com o seu próprio peso do corpo, como agachamentos, flexões com os braços em um banco ou uma cadeira, lunges para trás e para baixo até o ponto em que você tenha controle, dominadas assistidas na máquina do ginásio, remo com gomas ou polias em posição de agachamento.

Outra opção são os passeios com passos curtos para diminuir o impacto. Se o fizer em subida, o impacto será menor o esforço, maior. Se você está nesta fase, emitida por um profissional, esta pode ser uma boa ação.

Trabalha o equilíbrio e a coordenação

Por princípio, basta que sua mente cria, que está a 4 dias por semana, durante 30 minutos, iniciando-se a sua mudança. Se um dia você trabalha o equilíbrio e a coordenação, não se preocupe com o gasto calórico. Te garanto que em níveis mais avançados podem queimar muitas calorias, pensa simplesmente que você está melhorando um aspecto da condição física importante e, além disso, é mais divertido do que quando se tenho que fazer outro tipo de treinamento.

Escolha bem o seu local de treinamento

Sei por experiência que quando se entra em alguns ginásios, pode-se sentir observado de uma forma que você não gosta. Escolhe bem o teu ginásio antes de se inscrever visitándolo no horário que você vai. É preferível ir mais longe e que você se sinta bem e motivado, para que vá a um centro de fitness mais próximo e não esteja a gosto. Ao final, trata-se de ir. Mas, para começar, nem sequer você deve ir a um. Você pode fazer exercícios em sua própria casa ou em qualquer lugar em que você se sinta confortável. Com muitos métodos de treino você apenas precisará de seu próprio peso, e utensílios tão normais como móveis, cadeiras, bancos e coisas que estão ao seu alcance em qualquer parque público como em sua própria casa. Mas, se não pode ter um treinador pessoal, pelo menos recorre a algumas sessões para que te guie em seus primeiros passos e que você possa se preparar um plano de trabalho personalizado.

Aprenda com os erros

Poderia ter posto neste ponto que seja constante e, embora, é verdade, parece que se culpabilizaría por não sê-lo. Tranquilo, todos temos mil motivos e todos eles são válidos, mas estes devem servir de aprendizado. Há muitos slogans publicitários que levaram muitas vezes a cair em métodos milagrosos e rápido de emagrecimento. Mas acredite em mim, eu sei constante com os pontos que lhe descrevi e obter resultados de forma contínua e mantendo uma saúde mental boa. Não se desmoralices, a constância leva-o para os resultados, sem dúvida.

Anime-se e, como dizemos em Koa: “bem-Vindo ao câmbio”.