As mountain bike são para o outono

Dizem que as bicicletas são para o verão, mas todos sabemos que se a pessoa quer pedalar na natureza, as outras estações do ano também…

Dizem queas bicicletas são para o verão, mas todos sabemos que se a pessoa quer pedalar na natureza, as outras estações do ano, também têm o seu charme. E de todas, o outono é uma das mais agradáveis para sair do caminho: as cores da floresta, o fresco da manhã, a umidade e os aromas que deixam as chuvas na paisagem, cogumelos que surgem, como por arte de magia por todos os lados… Como prova disso, o fim de semana que passou , dando a Volta à Peña Montañesa, no Sobrarbe aragonês, com o Clube BTT Open Natura.

Panorâmico instante inesquecível Maxi Avalanche, com ¡¡¡18 km seguidos de emocionantes trilhas e trialeras!!! (Foto: Jordi Calsina, Clube BTT Open Natura).


ZONA ZERO BTT – PIRINEUS AINSA
Tudo começou no dia em que a Transpyr 2013 nos levou até Ainsa por um caminho interminável. Naquele dia, estávamos realmente cansados, mas o desfrutamos como se acabásemos de subirnos de andar de bicicleta. Atravessamos a meta eufórico.

O passo seguinte foi o de informar-nos sobre aquela rota que nos fizera lembrar porque prácticamos mountain bike. E muito em breve, um teclado na mão, encontramos um pequeno grande tesouro em forma de Centro de BTT dedicado ao “enduro”. Ao ver este vídeo, ficamos totalmente encantado. Enviamos para nossos amigos do clube e as respostas não tardaram em chegar. Ninguém queria perder.

PARAÍSO DO MOUNTAIN BIKE MAIS “ENDURERO”
A ideia era dar a volta completa à Peña Montañesa, partindo de Campo e fazendo escala em Informática. Para isso, aproveitamos alguns tracks para GPS que encontramos no wikiloc, a que fizemos algumas variações. O itinerário final poderia ser feito em uma única jornada, mas nós preferimos tomá-lo com mais calma, parando para tirar fotos, a comentar a jogada e desfrutar da companhia. Assim, gostaríamos de Informática já foram comidos, em uma hora perfeita para nos dar um chuveiro, tomar umas cervejas, esticar as pernas para o centro velho, asomarnos os panoramas que se vêem em suas muralhas, e, claro, saborear a gastronomia local.

O resultado foi um fim-de-semana motociclista de campeonato, com uma primeira fase em que pedaleamos por toda classe de paisagens e tipos de caminhos, e nós apreciamos especialmente dos 18 km de trilhas que há entre a Collada e Ainsa, seguindo a nova rota “Maxi Avalanche” do centro de BTT. No domingo, por causa do tormentón que caiu a primeira hora da manhã, tivemos que variar o percurso previsto ligeiramente –adicionando alguns trechos de asfalto para evitar as rieras inundadas por que tínhamos pensado circular–, mas a improvisação –e os mapas topográficos do GPS– também nos permitiu descobrir uma série de caminhos extraordinários em que passamos muito bem.

peña montañesa

Informações práticas Volta a Peña Montañesa
Etapa 1: Campo – Informática (44 km & 1.300 m+) >> track para GPS
Etapa 2: Informática – Campo (43 km & 1.200 m+) >> track para GPS
+ info de outras rotas dos arredores de Informática: www.bttpirineo.com

Com os amigos e amigas do Clube BTT Open Natura, no Outeiro de Cullivert (1.471 m).FacebookSergio Fernández TolosaEscrito por Sergio Fernández Tolosa

Jornalista, aventureiro, escritor & “bunda de mau lugar”. Barcelona, estabeleceu-se no bairro de Gràcia, mas nômade por natureza. 42 anos. Gosta de ler, correr, pedalar em todos os lugares, subir montanhas, olhar mapas, realizar as viagens que sonha… A aventura que mudou sua vida? Atravessar de bicicleta, e na paciência os sete desertos maiores e mais emblemáticos do mundo: Austrália, Atacama, Mojave, Namibe, Kalahari, Gobi e do Sahara. Pedaleó 30.000 km durante quatro anos e aprendeu que os desertos são mais do que lugares vazios e planícies inertes. Todas as suas peripécias aparecem no livro 7 desertos com um par de rodas, com mais de 200 fotografias que ele mesmo fez durante as sete expedições. Este blog que começou quando ele se preparava para participar da Titan Desert compartilhando tandem com o castelhano. Superado o desafio, surgiu um outro, e depois outro, e mais outro… e aqui ela nos conta. Seu web site pessoal é www.conunparderuedas.com

As melhores vegetais exóticas – Pergunte a Men’s Health

A Cada dia há mais vegetais exóticas no mercado. Quais são as melhores? Se você acha que é difícil comer cinco porções de frutas e legumes…

Cada dia há mais vegetais exóticas no mercado. Quais são as melhores?

Se você acha que é difícil comer cinco porções de fruta e legumes por dia, digere isso: de acordo com nutricionistas do Centro de Nutrição Humana da universidade UCLA (EUA), nossos ancestrais comiam cerca de 800 variedades de plantas forrageiras. “O homem primitivo desenvolveu comendo uma grande variedade de vegetais provenientes de diversas fontes, em vez de uma média aproximada de 20 variedades, que é o que consumimos hoje. Se você comer vegetais exóticas, acrescentar um maior número de compostos que estimulam seu sistema de defesa antioxidante”, afirmam os cientistas.

Isso poderia se tornar seu escudo contra as doenças cardíacas, diabetes e alguns tipos de câncer. Os vegetais exóticas ampliam suas opções e, portanto, você tem mais chances de se juntar ao grupo de 23% de adultos que consomem cinco porções de frutas e legumes por dia. Escolha as superverduras que sugerimos que, em vez de seleccionámos tendo em conta o seu teor de fitonutrientes e delicioso sabor. Além disso, são legumes da época:

1) Tatsoi
Esta verdura de folha verde com sabor a limão e pimenta vem da China e pertence à família das brassicaceae, como o brócolis. Contém fitonutrientes, que são conhecidos por suas propriedades para combater o câncer.

Preparação: Adicione folhas tenras cruas para dar outro sabor às saladas. Outra opção é usar tatsoi em vez de espinafre em praticamente todos os pratos que requerem cozimento.

2) Batata-roxa
As folhas contêm os mesmos antioxidantes encontrados em uvas-do-monte e são eficazes para melhorar a memória. Além de conferir a batata da cor roxo, lhe concedem um alto valor nutricional.

Preparação: Para se certificar de que você se beneficia de todos os antioxidantes que mantêm a cor roxa, é melhor que as cuezas o vapor e as aliñes com azeite de oliva e um pouco de aneto. É um acompanhamento ideal e divertido para o salmão grelhado.

3) Power
É uma espécie de planta proveniente do México, pertencente à família das solanáceas e é envolto por uma casca papirácea. Segundo uma equipa de investigadores da Universidade de Illinois (EUA), o power ajuda a prevenir a formação de células cancerígenas do cólon, graças às elevadas quantidades de withanólidos, alguns compostos químicos.

Preparação: O power tem um sabor ácido. Adicione-o cru e o gaspacho ou cocínalo com pimentas recheadas.

4) Colirrábano
Pertence à mesma família da couve verde, mas tem um sabor mais doce. Uma porção de colirrábano contém 93% da recomendação diária de vitamina C. Também é uma fonte rica em glucosinolatos, antioxidantes poderosos que ajudam a combater o câncer de próstata, segundo um estudo realizado a 11.000 homens na Alemanha.

Preparação: O colirrábano você pode comer tanto cru como cozido e é recomendável usá-lo em vez do repolho. Também pode ser usado na preparação da salada de repolho ou ir para a frigideira com um fio de azeite e um dente de alho picado.

5) pimenta do reino
A pimenta do reino é mais doce, frutado e picante que o conhecido jalapeño. Segundo um grupo de pesquisadores da China, o chile, porto rico, é rico em vitamina C e capsaicina, um composto que, além de contribuir para regular a pressão arterial, há que se queime a boca. Que pica, cura.

Preparação: Teste com o molho, rica em antioxidantes: misture uma colher de sopa de pimenta do reino cortado em cubos pequenos, com pedaços de manga, abacaxi, pimentão vermelho e a cebolinha. Para evitar surpresas picantes, livrar-se da membrana fofa e as sementes.

As melhores (e piores) opções para fazer HIIT

Muitos de vós já conheceis o HIIT. Um sistema de treino cardiovascular que consiste em alternar séries de cerca de 30 segundos a máxima intensidade com…

Muitos de vós já conheceis o HIIT. Um sistema de treino cardiovascular que consiste em alternar séries de cerca de 30 segundos a máxima intensidade com períodos de recuperação absoluta, onde, como mínimo, será investido o triplo do tempo gasto, ou seja, 90 segundos. Este sistema, mais do que pesquisar o consumo calórico/energético durante o próprio treinamento, pretende-se gerar um impacto metabólico, de forma que o consumo de energia durante as próximas 48 horas seja ligeiramente superior ao habitual. Este sistema, tal como já comentado em outras ocasiões, além de poupar tempo, conta com outras vantagens como, por exemplo, a geração de um ambiente hormonal favorável para o treino de força e/ou hipertrofia.

Longe de tentar pôr de manifesto as mais sólidas e comprovadas vantagens deste tipo de treino, meu objetivo com este post é para falar dos diferentes sistemas que podemos usar ao organizá-los de menos a mais eficaz.

1.- Elíptica: Sem dúvida, o pior dos sistemas, mas também o mais seguro e conveniente no caso de você nunca, ou ao menos não recentemente, você fez os exercícios de alta intensidade. Sua fraqueza é a pouca massa muscular ativada e a dificuldade para atingir níveis de intensidade realmente altos que representem um desafio para aqueles que contem com um mínimo de estado de forma.

2.- Bicicleta: O problema que tem a bicicleta, exceto os modelos AirDyne de que falarei mais adiante, é que só implicamos a musculatura das pernas, o que limita a capacidade para gerar o impacto metabólico que poderíamos conseguir com outros sistemas onde a ativação muscular é superior. Em caso de fazê-lo em uma estática de uso doméstico, poucas têm suficiente resistência para gerar um bom impacto e, em caso de fazê-lo em uma bicicleta de spinning profissional, o problema residiria na incapacidade para quantificar o desempenho a não ser que tenha a possibilidade de calcular Watts e/ou resistência.

3.- Slide Board: Se é certo que com este sistema também implicas principalmente da musculatura de membros inferiores, como a bicicleta, esta se consegue de uma maneira muito mais funcional e em três dimensões, conseguindo uma maior ativação muscular ergo um maior impacto metabólico. Além disso, juntamente com os extensores de joelho e quadril também estaria ativando toda a musculatura responsável de provocar o deslocamento lateral, algo que é impensável com os sistemas anteriores.

4.- Remo: Sua principal vantagem, ao contrário dos sistemas anteriores, reside na possibilidade de trabalhar os membros inferiores e superiores, possibilitando um maior impacto metabólico. Além disso, em caso de fazê-lo corretamente é praticamente impossível de se lesionar.

5.- Carreira: Devido ao grande impacto, assim como a própria mecânica da corrida, o efeito sobre o consumo de energia pós-treino pode chegar a ultrapassar muito a todos os sistemas anteriores. Sua principal desvantagem reside no elevado potencial lesivo, pois não há que esquecer que, de acordo com os estudos, uma pequena porcentagem de pessoas que correm estão realmente capacitadas para fazê-lo e que não há que correr para estar em forma, mas para estar em forma para poder correr. Além disso, em caso de fazê-lo em uma esteira mecânica, para realmente aproveitar o sistema, teria que saltar da fita para velocidade e inclinação adequada enquanto se descansa, deixá-la a essa velocidade, e depois tentar pular de novo em cima, sem alterar a velocidade e inclinação nos ajudando com as barras laterais. Tudo isso é feito com o objetivo de aproveitar ao máximo os 30 segundos de duração da série, evitando ter que acelerar e desacelerar a fita de cada vez, com o tempo perdido que isso implica, aumenta ainda mais o risco de sofrer um acidente ou fazer um gesto infeliz que possa resultar em uma lesão. É por isso que este sistema só deve ser usado por aqueles atleta com uma quantidade suficiente de estado de forma e que estão acostumados a este tipo de máquinas.

6.- AirDyne: Sem dúvida, o melhor sistema de todos. Já falo sobre isso na página “Personal Trainer” do último número de Mens Health. Este sistema desenvolvido pela famosa marca de bicicletas Schwinn por acaso não é distribuído no nosso país, mas pode facilmente na Alemanha se você dedicar um mínimo interesse. Dispõe de todas as facilidades e virtudes de uma bicicleta em relação a segurança, mas também de uma maior capacidade para ativar massa muscular em absolutamente todo o corpo, devido a que se trata de uma máquina dual. Isso significa que o rotor não só saem uns pedais estrategicamente colocados em um eixo duplo para desenvolver potência, mas também cerca de braços para poder ajudar-nos com as mãos. Por se fosse pouco, a resistência provém do ar, através de uma espécie de ventilador que praticamente evita que entremos em inércia. Falando claramente, se para atingir uma determinada potência precisamos investir uma quantidade de trabalho, será necessário a mesma quantidade de energia para manter a velocidade, ao contrário do que acontece com outras bicicletas. O único inconveniente, que deixa de sê-lo, no caso de tratar da máquina com o respeito que merece, reside em que, ao dividir o esforço em meio a tanta musculatura nunca chegamos a ter a sensação de que uma parte de nosso corpo vai explodir, o que nos encoraja a continuar lutando. Isso permite alcançar níveis de trabalho muito superiores a qualquer outra máquina e, se não vamos com cuidado, e progredimos com cautela, podemos encontrar-nos com que tudo nos voltas ao término do treinamento.

Comentários

As dietas depurativas de depois do Natal

As dietas depurativas que prometem ‘milagres’ representam uma agressão mais para o nosso organismo que, após o Natal, convém evitar ainda mais.

dieta-purificação de-natal-nutriçãoDepois dos excessos do Natal, é comum que os meios nos bombardeen com as típicas dietas depurativas (também chamadas de desintoxicação) que, supostamente, limpam o organismo e ajudam a perder peso. Muitas dessas dietas depurativas convidam-nos a fazer um “semiayuno”, obligándonos passar o dia à base de uma fruta ou de sopas. Mas isso só significa uma agressão mais para o nosso organismo ao qual, depois de os excessos, se obriga agora a funcionar com uma dieta que apresenta múltiplas carências nutricionais. Resultado: uma redução considerável de seu desempenho esportivo.

O que se pode fazer então? Minha recomendação é promover hábitos alimentares baseados em uma dieta equilibrada: que nos façam sentir melhor, mas que não impliquem uma dieta que seja deficiente em determinados nutrientes ou que é base de um único alimento ou grupo de alimentos. Algumas diretrizes que você pode seguir os dias pós-Natal são:

  • Consome tanto no almoço como no jantar verduras ou legumes como prato principal. Ajudam a reduzir os menus já que são alimentos de baixa densidade calórica, ou seja, que fornecem poucas calorias, muito, muito, muito volume.
  • Leva cerca de 3 porções de frutas por dia. Você pode tomar como sobremesa ou entre as refeições e nesses dias vai trazer um extra de vitaminas e minerais.
  • Preferir os alimentos integrais aos refinados. Depois de alguns dias de excessos de doces e alimentos refinados (em poucas mesas de Natal vejo eu integrais) fornecer esses alimentos nos fornece fibra que ajuda o trânsito e a saúde intestinal.
  • Evite as carnes processadas ou muito gordas e opta estes dias por carnes magras e peixes como segundo prato.
  • Consome 1,5 a 2l de líquidos por dia. Você pode fazer isso através de uma alimentação rica em frutas e vegetais com água e chás de ervas como bebidas principais. Tenta evitar refrigerantes, bebidas alcoólicas ou excessos de bebidas excitantes como o café ou o chá.
  • Reduz o sal e usa, para dar sabor aos pratos, especiarias suaves, como o louro, o orégano, endro, etc.
  • Consome os alimentos em cozimentos suaves, como cozidos, placas, fornos, etc. e impede por alguns dias, os fritos e rebozados.
  • Compra comida e planeje-se para levar frutas ou sanduíches para o escritório e foge dos lanches que você pode encontrar nas máquinas. Se você tem a geladeira cheia de produtos saudáveis, mais fácil será manter uma alimentação saudável.

O certo é que todos esses hábitos fazem parte de uma alimentação saudável e equilibrada. Se os mantiver em sua vida diária, mesmo que seja de forma mais descontraída, contribuindo para melhorar sua alimentação e sua saúde. Deixemos de pensar que um único produto pode ajudar a depurar, para perder peso ou para qualquer outro objetivo que temos. A alimentação em conjunto e os hábitos que pode é o que vai ajudá-lo a obter os resultados que deseja.

Só me resta dizer que, se este ano um de seus propósitos é comer melhor, que não seja simplesmente isso. Vamos começar o ano cumprindo objetivos e que tenham todos um Feliz e saudável 2014!

Comentários Facebook