O poder da mente e desempenho esportivo

O poder da mente e desempenho esportivo

Curso sobre o

“A sorte favorece a mente preparada” (Louis Pasteur)

Há já 14 anos, fiz parte de um “Programa de Modernização” para melhorar como jogador de futebol de base. Naquele programa, que para mim durou dois anos, se diferenciava do resto, entre outras coisas, por levar a cabo um trabalho mental de psicologia esportiva dentro e fora do campo de jogo diariamente. O diretor técnico daquele projeto era Josep Colomer, ex-coordenador do futebol de base do Barcelona e, atualmente, diretor-geral do Aspire Football Dreams (Qatar). O psicólogo desportivo, figura-chave no programa em que participei, era Julho Figueroa. Uma pessoa que marcou a minha vida e despertou meu interesse pela mente do atleta. Figueroa foi psicólogo esportivo do F. C. Barcelona e, atualmente, é professor de Psicologia esportiva na Universidade de Vic e coordenador e professor da Escola Catalã de Treinadores de futebol.

Depois de 14 anos, Edu Toledo, Product Manager de Empsi Sport e treinador desportivo (www.empsi.es), sem ter nada que ver com as pessoas acima referidas, compareceu ao centro especializado em treinamento de pessoal “FITT Balmes” (www.fitt.es para endurecer o corpo e perder um pouco de gordura. Pouco a pouco, e à medida que íamos estreitando um vínculo afetivo, dava-me algumas indicações para que eu, como treinador pessoal, lhe motivara um pouco mais. Eu pensava que o motivar meus treinados era um dos meus fortes! Edu tinha muito que aportarme ainda. Falando um pouco mais com ele, dei-me conta de que me falava de coisas muito interessantes sobre a mente das pessoas que fazem desporto, tanto a nível amador como profissional. Assim que fiz uma visita com ele e com Cipriano Toledo (Diretor Geral de Empsi Sport), que me explicarão que fazem exatamente em sua empresa. Aqui está o trecho da conversa que, a meu juízo, não tem preço:

“O maior aliado e o principal inimigo com o que está a um atleta em sua progressão, é a sua mente. O que você pensa com relação ao nível que pode atingir, é determinante na hora de obter resultados. O que em psicologia se conhece como crenças limitantes ou crenças motivadoras”(Edu Toledo).

Talvez, a melhor forma de entender o que é uma crença limitadora e como podemos eliminá-la é, pondo um exemplo: Sir Roger Gilbert Bannister é um ex-atleta britânico, que foi especialista em provas de meio.
É reconhecido internacionalmente por ter sido o primeiro homem na história capaz de percorrer uma milha (1.609 metros) em menos de 4 minutos. Quando era estudante de medicina em Oxford ouviu dizer, o professor que dava a aula, que, se alguma vez um homem correu uma milha em menos de 4 minutos, e o seu coração reventaría.
Ele se perguntou por que 4 min. e não 3,59 ou 4,52, e essa crença limitante quebrou em sua mente, ele começou a treinar e o resultado está nos livros de história esportiva.
Uma vez que bateu esse record, outros atletas começaram a correr a milha em menos de 4 min. e, em pouco mais de um mês, outro corredor bateu o seu recorde. Hoje o recorde da milha está em 3,43.

O mundo do esporte, tanto amador como profissional, está cheio de crenças limitantes que quando são eliminadas provocam avanços inimagináveis.

Em EMPSI Sport são especialistas em remover as limitantes e potenciar as motivadoras. Desenvolveram um método que une as técnicas mais avançadas do treinamento esportivo atuais: PNL, o Novo Código da PNL e, sobretudo, a Psicologia Energética.

Além das crenças limitantes, os atletas encontram-se com outros obstáculos, por exemplo, entre outros, a falta de motivação, o baixo desempenho em momentos-chave e falta de confiança.

Marc Milá, um dos atletas com os que têm trabalhado, é uma promessa do tênis, campeão N., campeão de Portugal S12, campeão de Portugal de casal S12 e campeão Porttimao S14. Marc esteve a ponto de retirar-se do tênis por “sifão” em seu “drive”, o mesmo que retirou a Guilherme Coira. Após a aplicação do método de “Empsi Sport”, o problema ficou resolvido em poucas sessões e, hoje, continua a lutar por se tornar uma figura do tênis profissional.

Na prática esportiva, tanto amador como profissional, há muitos elementos susceptíveis de melhoria. Até mesmo a linguagem verbal e não-verbal que usamos, tem impacto em nossos resultados. Empsi nos oferece um exemplo concreto e simples, com a utilização correta do advérbio “NÃO”.

De acordo com Empsi, nossa mente elimina a palavra “não” das frases. Quando um treinador diz, “este jogo NÃO será fácil!”, a mente de seus jogadores, entende-se, “este jogo vai ser fácil”, o que fará com que aumentem as suas expectativas e, portanto, seu desempenho e resultados. Por outro lado, quando um treinador diz, “este jogo vai ser difícil”, está lançando uma mensagem para a mente de seus pupilos, que fará com que seu rendimento seja menor.

Empsi coloca este exemplo simplificando muito a aplicação de suas técnicas, já que estas necessitam de uma ampla formação e experiência para serem aplicados corretamente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *