O mito de aumentar repetições para perder gordura

Um dos grandes mitos que costumamos ouvir nos ginásios, fruto da herança fisiculturista, é a crença de que para perder gordura é…

Um dos grandes mitos que costumamos ouvir nos ginásios, fruto da herança fisiculturista, é a crença de que para perder gordura, é melhor para trabalhar com altas repetições e, portanto, com menor intensidade.

Para demonstrar o absurdo esta crença, devemos primeiramente teríamos que pensar na intensidade, algo que não tem nada a ver com a sensação de esforço ou saturação muscular, mas com a porcentagem do peso que estamos movendo em relação à capacidade máxima de esforço.

Para esclarecer-nos: trabalhar com um peso que permite que você faça três repetições máximas implica uma maior intensidade que se trabalhamos com um que permita fazer 8 e muito mais do que se nos permite fazer 15.

Evidentemente, se trabalhamos a 15 repetições, com séries mais longas, e menos tempo de descanso, a sensação de saturação e congestão muscular será maior, mas isso não tem nada a ver com o fato de manter a massa muscular ganhada, enquanto pretendemos reduzir a gordura corporal.

As fibras susceptíveis de aumentar o seu tamanho e, portanto, as que nos interessa manter quando estamos no meio de um plano de perda de gordura, são aquelas com maior nível de excitabilidade (IIa e IIx). Ou seja, aquelas que requerem uma maior intensidade para ser activadas. Se aumentamos muito o número de repetições diminuímos consideravelmente a intensidade, de forma que corremos o risco de não chegar a ativar precisamente este tipo de fibras que temos estado trabalhando o resto do ano, conseguindo aumentar o seu tamanho.

Não chegar a ativar uma fibra muscular é o mesmo que se não treinar, já que o estímulo que receberia esta unidade seria o mesmo. Passado um tempo treinando muito baixa intensidade (altas repetições) pode fazer com que perdiéramos massa muscular e força, já que estas fibras começassem a perder espessura, tônus muscular, ergo capacidade contrátil ao não receber qualquer tipo de estímulo. Além disso, o treino com altas repetições é um dos que menor resposta hormonal provoca diminuindo substancialmente o efeito de calor residual, dificultando a perda de gordura.

Em caso você quer perder gordura e manter a massa muscular na tentativa de não se engane, continua a trabalhar entre 6 e 10 repetições máximas, exatamente o mesmo que você fez durante o treino de hipertrofia, orientado para ganhar massa muscular. O truque não reside no treinamento de força, mas a dieta e o treinamento cardiovascular orientado para causar o maior consumo calórico possível não apenas durante o tempo que dura o treinamento, mas também nas horas seguintes.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *