Hidratação e esporte

Hidratação e esporte

Hidratação vem da palavra grega “hydros”, que significa água. Portanto, é óbvio que para se hidratar, utilizaremos, principalmente, água. Fala-Se de muitos tipos de bebidas que podem nos hidratar, mas, garanto-vos, que nenhuma mais do que a água. Ao final, as bebidas que são feitas para se hidratar são feitas, em maior proporção, com H2O.

65% do nosso organismo é água, um dado simples e interessante para convenceros é importante estar bem hidratado. Muitos pensaréis que no primeiro mundo, poucas pessoas têm problemas de desidratação. E muitos torcedores acreditam hidratar o corpo de forma correta durante a prática de exercício. Assim que prosigamos com alguns estudos que falam sobre isso.

Estudos interessantes

– Segundo um estudo da Sociedade Espanhola de Medicina de Família e Comunidade (SemFyc), apenas 12% se exercitam regularmente. Por outro lado, a Federação Nacional dos Empresários de Instalações Desportivas (FNEID) diz que, em Espanha, entre 70-80% da população não frequenta as academias de ginástica. No já conhecido por todos, “operação biquíni”, os procentajes de pessoas que fazem esporte e apontam para um ginásio aumenta consideravelmente, na maioria dos casos, com muitos sintomas de desidratação e com um desconhecimento importante de como devem fornecer água para o seu organismo durante a prática esportiva.

– O Observatório de Hidratação e Saúde (OHS), em colaboração com a Organização Médica Colegial (OMC) foi apresentado este ano, os “Hábitos de Hidratação e Saúde da População Portuguesa”, fornecendo os seguintes dados:

O OHS realizou a pesquisa com uma amostra de 2.000 pessoas, das quais 94,1 dos entrevistados afirmam não ter sofrido nunca uma desidratação. Em contrapartida, 21% diz que já teve dor de cabeça em situações de calor ou ao praticar exercício físico, 25% tem sofrido uma transpiração excessiva, 31% irritabilidade, sonolência e cansaço e 18% a aceleração da frequência cardíaca em repouso. Além disso, segundo a porta-voz do OHS, a Dra Ana Requejo, o 44,6% afirma não beber, até que não têm a sensação de sede. Como conclusões se extrai que esse 94,1% da população espanhola, que acreditava não ter sofrido uma desidratação nunca, não têm uma consciência clara do que é o estar bem hidratado. Assim, segundo este estudo, 85% dos entrevistados não atinge os níveis de hidratação adequado (2,5 litros/dia, sem contar com as perdas de água durante a prática esportiva). Em termos gerais, de acordo com a pesquisa do OHS, o 33,8% da população expostos a uma situação de risco por desidratação.

Quais podem ser sintomas de desidratação?

De acordo com o Observatório de Hidratação e Saúde dos sintomas de desidratação podem ser os seguintes: Fadiga, em repouso, dores de cabeça em situações de calor, dificuldade para se concentrar, cãibras musculares (rampas), aumento do ritmo cardíaco em repouso, sensação de sede, sonolência e irritabilidade. Eu gostaria de salientar que estes sintomas podem ter sua origem em um processo de desidratação, mas também podem ser dados por outros problemas. Diante de qualquer dúvida, o melhor que você pode fazer é consultar um profissional de Saúde (Médicos, enfermeiros/as, farmacêuticos/as e nutricionistas).

Dicas sobre hidratação e desempenho esportivo:

  1. Você deve beber água antes, durante e depois de fazer exercício físico. Sobretudo antes e depois. Durante a pequenos sorvos de tal forma que evite sensação de peso no estômago e seu organismo absorva rapidamente a ingestão de água. Hidratar o corpo é um hábito de vida contínuo durante todo o dia, não é uma ação isolada que deixamos somente para quando fazemos desporto.
  2. Se praticar o triatlo ou qualquer outra disciplina esportiva de longa duração deve beber antes de sentir sede, pois, esse fato já é um indicativo de que você está dehidratado.
  3. Em seus hábitos nutricionais incorpora alimentos ricos em água e sais minerais, como frutas ou legumes.
  4. Segundo José M Rosé (Assessor Científico Recuperation Eletrólitos do Instituto de Biometria Aplicada (BIOMET) e Pere Pujol (Chefe do Serviço de Nutrição Dietética i do Centro de Alto Rendimento de Sant Cugat), se você fizer exercício de forma regular em um clima quente, o seu organismo irá gerar as seguintes adptaciones: aumento do volume plasmático (10-12%)/ guia de início rápido da transpiração/ aumento da capacidade de transpiração/ diminuição da perda de sal (cloreto de sódio) pelo suor/ aumento do fluxo sanguíneo muscular, juntamente com uma diminuição do fluxo sanguíneo cutâneo. A aclimatação a temperaturas elevadas se alcança em uma ou duas semanas, enquanto que a perda desta aclimatação começa a diminuir, ao cabo de uma semana e é cheia de 4 semanas.
  5. Ingere bebidas isotónicas, e somente se, o seu gasto calórico é muito alto e a sua vida é muito ativa. Mas melhor bebe água. Aqui uma frase significativa de Tim Noakes, pesquisador da Universidade da Cidade do Cabo (áfrica do Sul), que reflete o comentado em: “Se evitassem as bebidas isotónicas estariam mais finos e branco mais rápido”.

“A água é o veículo da natureza.” (Leonardo Da Vinci).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *