Duas coisas que eu sei dos carboidratos

Ah, o eterno debate dos carboidratos. O que vos posso dizer eu? Em primeiro lugar, eu acho que não há que ter medo de incluí-los na dieta. Eu acho que, sem dúvida, é em geral para que qualquer pessoa que tenha tido ou tenha excesso de peso mais teme. Eu vos direi que, como na maioria das coisas da vida, o problema vem quando a pessoa se excede. O mais importante é colocar a medida em tudo…

169-carbs-Oliveras

Ah, o eterno debate dos carboidratos. O que vos posso dizer eu? Em primeiro lugar, eu acho que não há que ter medo de incluí-los na dieta. Eu acho que, sem dúvida, é em geral para que qualquer pessoa que tenha tido ou tenha excesso de peso mais teme. Eu vos direi que, como na maioria das coisas da vida, o problema vem quando a pessoa se excede. O mais importante é colocar a medida para tudo o que comemos , para assim não ter que prescindir de alimentos básicos em nossa dieta, como o arroz ou o pão, grandes inimigos do flutuador, mas importantes aliados na obtenção de energia e desenvolvimento muscular refere-se a qualquer atleta, seja ele profissional ou amador.

Os carboidratos são muito importantes, tanto para obter energia a hora de render o treinamento como para recuperaros de o, já que os músculos em um primeiro momento o utilizarão como combustível e, posteriormente, para preencher os depósitos esvaziados.Por isso, é fundamental acrescentar uma porção de carboidratos da refeição anterior e na posterior de seu treinamento.

O que você deve estabelecer a hora de saber quantos carboidratos deve incluir? Você não deve considerar o seu peso em termos absolutos, mas sim pensar no seu peso muscular ideal. A ingestão de hidratos de carbono irá depender da quantidade de massa muscular que tiver e também do objetivo que se tenha fixado, já que se quiser perder gordura, o consumo deste nutriente tem de ser mais pequeno do que se a intenção é aumentar sua massa corporal.

Há vários momentos em que é interessante uma ingestão de carboidratos, mas, pouco a pouco, vou descascar quando, por que são estes os momentos cruciais e como saber quais alimentos escolher em cada um destes momentos.

A segunda coisa que eu quero contar é que levamos muito tempo dando voltas ao tema do índice glúcemico (IG) dos carboidratos (velocidade em que posso estar disponíveis no sangue), mas para vossa tranqüilidade, sabei que, depois de treinar, o fato de que sejam de maior ou menor a IG não é tão importante. De facto, é mesmo mais interessante que sejam de um IG mais elevado para criar um pico de insulina que favorece a absorção dos nutrientes na musculatura! Quando acompanhamos a ingestão de hidratos de carbono de outros nutrientes, como aminoácidos, vem-nos pérolas que sejam de índice glicêmico alto ou de “rápida absorção” porque levarem todos estes nutrientes para a célula muscular, e isso resulta em maiores benefícios que o consumo de cada um deles separadamente ou com um carboidrato lento (com um IG baixo).

Portanto, não se esqueça: os carboidratos não são o inimigo. Os excessos sim. Por último, Não se esqueça de que os momentos mais interessantes para levá-los são, antes e depois de treinar!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *