De Nice, Veneza – Colorado on the road

Depois de um dia de descanso em Nice, Colorado on the road e sobe novamente com as energias renovadas para a bicicleta. Eu Me coloquei em…

DSCN329Depois de um dia de descanso em Nice, Colorado on the road e sobe novamente com as energias renovadas para a bicicleta. Eu Me coloquei em marcha ao meio-dia e continuo subindo a Costa Azul a caminho das terras italianas. Ao sair de Nice e fazer upload de um porto de montanha, olho para trás e apreciar pela última vez a ensolarada costa francesa.

Até 4 anos que não visitava a Itália, um país que tantas recordações me traz meu agitado ano de Erasmus. A rota leva-me a Savona, onde vou passar a noite ao relento. O dia seguinte não foi muito animador: as contínuas subidas da estrada que avança paralela ao mar, fizeram mossa em minhas pernas e minha moral, mas, finalmente, chegar a Chiavari, onde tomar um desvio endereço Parma para atravessar o norte de Itália e deixar a costa do mediterrâneo. Finalmente, acampe na montanha, onde montei a barraca,me preparei para o jantar e descansé em que se tornou a minha casa.

Totalmente fundamentado, eu subo de novo para a bicicleta, e ponho rumo a Veneza. As próximas duas etapas que me levam a fazer 169 e 181 quilômetros, mas o esforço se cobra o seu preço. No quilômetro 2001 eu pego um tremendo piñazo pedalando por uma estrada secundária. Por sorte, naquele momento, não passo nenhum dos números carros e caminhões, que ao longo do dia eu me avançados sem cessar. A sorte ficou do meu lado, e o melhor é que, ao final da segunda etapa, havia conseguido chegar a Veneza, onde pude acampar em um parque de caravanas chamado Tronquetto. Ao amanhecer fique do outro lado da ponte para a liberdade, para acabar encontrando um hotel de chineses situado no bairro de Mestre, que depois de muito pechinchar, chegar a um acordo para duas noites, a um preço acessível.

Os dois dias que passa em Veneza me lembraram muitos momentos de minha Erasmus em Cagliari. A primeira noite pegue o ônibus e cheguei a iluminada ilha veneziana, onde finalmente conheci um grupo de estudantes que se reuniam todas as quartas-feiras nas escadas da estação de comboios. Depois de compartilhar umas cervejas com eles, o cansaço me fez voltar ao hotel antes das 00:00, mas a verdade é que a idéia de ficar até altas horas da noite de festa, cada vez me atrai menos. O segundo dia em Veneza, dedique-se a percorrer as suas ruas como um turista mais. Visitando a Ponte de Rialto, Piazza San Marco e percorrer Fomenta Zattere. Longe estava do meu orçamento montar em uma gôndola, mas não o tivesse feito, embora tivesse podido, essas coisas há que fazê-las com o parceiro.

Era hora de deixar a cidade do amor e colocar no rumo de Trieste, mas uma promessa deixo tão bela cidade, voltar com o parceiro. Não é lugar para visitar solteiro.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *