Quatro erros que se afastar de seu objetivo

O treinamento em sala de fitness e levar um tempo desanimado ou chato? Você perdeu a confiança e se está a pensar deixar o seu treino? Você está cansado…

desmotivacion2 você Treina em sala de fitness e levar um tempo desanimado ou chato? Você perdeu a confiança e se está a pensar deixar o seu treino? Você está cansado antes de começar o treino ou ao pouco tempo de começar? Então, é provável que você esteja sofrendo de estressemental e emocional, o que influencia negativamente no seu desempenho físico.

Em primeiro lugar, deverá localizar os motivos que levaram até esse ponto:

1. Seu treinamento é monótono.

2. Sua carga de treinamento é excessiva e prolongada.

3. Seu estilo de vida fora do treino é contrário ao desportivo.

4. Seus objetivos não estão bem definidas.

A prática de exercícios com sobrecarga até a falha muscular é muito comum. Isso pode ser muito benéfico para aumentar sua massa muscular, mas se esse treino é feito com muita frequência, pode diminuir a concentração de testosterona em suspensão e provocar um esgotamento físico e mental. Qual a solução? Se você treinar até a falha muscular, faça isso durante 6 semanas e, em seguida, realiza alguma semana de download.

Se o seu treinamento é baseado em pesos livres, roldanas e máquinas, pode chegar a ser monótono e provocar tédio, falta de motivação e estagnação físico, tudo o que poderia fazer com que tirases a toalha mais cedo do que tarde. Para evitá-lo, altera temporariamente o seu programa, incorporando novas técnicas de treino em suspensão, com plataformas que geram instabilidade, reatores… O objetivo é gerar estímulos novos, mas igualmente exigentes. Sua musculatura e sua mente se beneficiarão destas novidades com um melhor desempenho físico e sentindo interesse em realizar a nova tarefa.

Pode ser que você treina duro, mas para que essa atividade seja benéfica, para alcançar seus objetivos e seguir a vontade de participar com o seu esporte, o tempo que passa fora o ginásio deve ser igual ordenado que o seu treino. Por isso, uma boa alimentação, um estilo de vida saudável e o sono adequado devem ir de mãos dadas de seu treinamento. O sucesso é a integração de todos estes fatores. Se não os integrando todos, não o conseguirá.

Por último, certifique-se de que seus objetivos sejamrealistas. É dizer, que você pode obter em um tempo razoável. Também é fundamental que sejam mensuráveis para que você possa ir evaluándote.

Por que é tão importante sempre manter alta a sua motivação? Porque te dá uma injeção de energia, seja para iniciar-se no âmbito desportivo ou para começar um novo desafio; para mudar alguns de seus hábitos por outros mais saudáveis, e para manter esse estilo de vida, a fim de continuar a melhorar. Se desperdicias essa energia com esforços excessivos e não se organizar corretamente, você agotarás e você pode sofrer de stress, esgotamento físico e emocional, baixa auto-estima, frustração, abandono do exercício e até mesmo lesões.

Bibliografia

Nível de Bournout e Desempenho Esportivo (1999). Em, E. Cantão Chirivella , Motivação e sua aplicação prática no esporte (pp 91-100). Valência: Editorial Promolibro

Jeffrey M. Willardson, Gabriel J Wilson e Layne Norton (2010). Treino até a falha e para além dos programas convencionais de exercícios com sobrecarga. Extraído a 2 de Setembro de 2014, a biblioteca multimídia http://www.g-se.com

Facebook Comments

Quatro exercícios para evitar dor nas costas

Por que sofremos dor nas costas? O stress que muitas vezes vivemos provoca cansaço físico e, além disso, tem um grande impacto psicológico sobre…

Por que sofremos dor nas costas?

O stress que muitas vezes vivemos provoca cansaço físico e, além disso, tem um grande impacto psicológico sobre nós. Isso gera uma alteração do estado fisiológico que pode traduzir-se em vários dores ou sintomas. Também influencia a forma em que realizamos o nosso trabalho, já que muitos de nós passamos a maior parte do tempo ocioso, sentados em uma cadeira. A grande parte do nosso tempo passamos sentados, seja em uma cadeira, em uma cadeira ou no sofá. Esta postura gera uma informação no cérebro, correspondente a uma postura em semi-flexão, provocando uma hiperactivación os quadríceps, um encurtamento de nossos músculos isquiotibiais e uma reação de proteção de nossos psoas. Além disso, essa postura provoca dor de costas para a maioria das pessoas e é responsável por lesões mais graves, como herniated discos, alteração dos nervos, desidratação discal, etc.

Você sabia que as crianças realizam movimentos muito mais simples e baratos? Em outras culturas ainda conservam boa parte desse capital postural: sentando-se no chão, andando descalços, trabalhando ou comendo no chão. Estes dados são a chave para entender a dor nas costas, já que alguns estudos mostram que estas culturas não sofrem de dor nas costas graças a manter esse padrão postural.

Soluções contra a dor nas costas

A osteopatia pode ser dar-lhe um cabo. Seu objetivo é tentar melhorar o equilíbrio do corpo, trabalhando sobre as adaptações posturais para otimizar a simetria muscular. O trabalho é global e precisa de grande envolvimento por parte do paciente. Por isso, uma pauta de exercícios adaptada a cada um permite provocar mudanças de postura e melhorar a dor nas costas. Não é possível fazer desaparecer um padrão postural que se repetiu durante anos em uma sessão de osteopatia, fisioterapia, acupuntura ou quiropraxia; por isso é importante mudar os hábitos posturais para poder apreciar uma melhoria nos sintomas das doenças.

Exercícios para evitar dor nas costas

  1. A postura sentada no chão (long sitting posture)

Postura1

Esta postura é benéfica, principalmente para aliviar a tensão acumulada na região lombar, provocada muitas vezes por estar o dia todo trabalhando sentado. Sentar-se nesta posição é difícil de se retrações a nível das pernas (isquiotibiais), já que é importante que as pernas estejam totalmente retas.

Para que serve?

  • Diminuir as tensões posteriores a nível de pernas e aliviar lombares.
  • Melhorar o nosso centro de gravidade (alinhamento cervical, dorsal e lombar)
  • Melhorar a parede abdominal profunda, necessária para uma boa saúde lombar.

O tempo nesta posição

De acordo com a dor, de 10 segundos a 5 minutos. Se aguantas pouco tempo, repetida várias vezes, durante 3 a 5 minutos.

2. A postura de joelhos (kneeling posture)

Postura2Esta postura, de joelhos e com os pés esticados, é usado na cultura japonesa. Sentar-se nesta postura é difícil se você tem muita tensão nos quadríceps e os extensores do pé (músculos da parte superior do seu pé). Se é o caso, não pode colocar as suas nádegas sobre os teus pés. Se te dói, também pode incluir um logotipo da sua um travesseiro entre as nádegas e os gêmeos. Se te dói a parte superior do pé, pode colocar outra entre os pés e o chão. É importante não forçar nunca o exercício para evitar possíveis lesões nos ligamientos do pé.

Para que serve?

  • Diminuir a tensão dos quadríceps
  • Diminuir a tensão dos extensores da perna e do pé
  • Alinhar o centro de gravidade.

O tempo nesta posição

De acordo com a dor, de 10 segundos a 5 minutos. Se aguantas pouco tempo, repetida várias vezes, durante 3 a 5 minutos.

3. Postura de pernas cruzadas (cross-leged posture)

Postura3Esta postura é muito usado quando a gente não pode sentar-se no chão, de outra forma, devido à falta de elasticidade. Quando fizer esta postura tem que estar em seus isquiones (osso da coxa), mas se você não significa que você tem retrações musculares ao nível da pelve e lombar.

Para que serve?

  • Melhorar o centro de gravidade.
  • Favorecer a vascularização do corpo (nesta postura a vascularização do corpo esta otimizada), por isso é uma boa posição para se recuperar de um dia sentado em sua cadeira ou depois de uma sessão de treinamento.
  • Favorece uma boa saúde dos quadris.

O tempo nesta posição

De acordo com a dor, de 10 segundos a 5 minutos. Se aguantas pouco tempo, repete-se várias vezes durante 3-5 minutos. Não forçar a postura.

4. A postura de agachamento (squat)

Postura4Poder estar nesta posição, sem levantar os calcanhares significa que se tem um bom nível postural.

Para que serve?

  • Trabalha as articulações.
  • Auto-massagem dos órgãos (as pernas estão contra a barriga o que impede as vísceras de sair em fase de inspiração. É o movimento do diafragma durante a respiração que se favorece esta massagem).
  • Melhoria da tensão anterior sobre os discos vertebrais.
  • Favorece a abertura do períneo (postura altamente recomendado para se preparar para o parto).

O tempo nesta posição

De acordo com a dor, de 10 segundos a 5 minutos. Se aguantas pouco tempo, repete-se várias vezes durante 3-5 minutos.

Quatro esportes para não perder o gym em férias

Se você é alguém que leva mal isso de deixar o seu gym habitual em férias, mais te vale trocar o chip. Em vez de um…

Se você é alguém que leva mal isso de deixar o seu gym habitual em férias, mais te vale trocar o chip. Em vez de um obstáculo, por que não o afrontas como um desafio? A praia é o destino estrela nestas datas, assim, transformá-la em um grande centro de fitness ao ar livre pode ser uma boa idéia. Aqui você tem vários desportos aquáticos no local para manter e até mesmo melhorar a sua forma física durante este período, sem medo de perder o gado durante os meses de esforço na academia.

Moto aquática

Nada mais divertido do que uma rota com motos aquáticas para trabalhar a resistência e o fortalecimento de diferentes grupos musculares.

Quando você corta o mar a moto trabalha a musculatura dos glúteos, o tensor da fáscia e os quadríceps ao nível inferior. O trem superior, trabalha os músculos dos braços. Quanto mais aumentar a velocidade, mais resistência muscular você terá. Se você sofre de condromalácia patelar, melhor mantenha-se sentado na moto.

Paddle surf

Uma boa opção para aqueles que querem algo mais relaxado, mas que querem trabalhar. Este esporte que trabalha a musculatura do ombro e a coluna com uma combinação entre mais do que saudável para manter um bom equilíbrio.

Mesmo na tabela, podem-se realizar alguns exercícios de core se você se anima a trabalhar o equilíbrio.

Kayak

Um esporte que a cada dia fica mais seguidores. É um exercício que você pode fazer durante todo o ano, mas a temperatura do mar nestas datas anima especialmente. Você poderá trabalhar a musculatura abdominal, o reto e oblíquos, além da musculatura dos ombros.

Há que prestar especial atenção à postura no caiaque, para evitar as dores na coluna devido a uma má técnica. E será mais divertido se você marcar a rota padrão.

Flyboard

Deixamos para o final o rock’n roll com o qual você pode trabalhar o equilíbrio e a força de grupos musculares tão importantes como os quadris. Se não perder a paciência nas primeiras tentativas, o esforço merecerá a pena. Você vai notar a recompensa no músculo psoas e os retos. Não se esqueça de que quanto mais relaxada você estiver, melhor farás a subida.

A maioria destes exercícios você pode fazer em casal ou com amigos, o que os torna ainda mais confortáveis para manter suas rotinas nas jornadas de praia. E lembre-se: não viva para fazer esporte, o esporte te faz viver melhor. Desfrute!

Crônica da etapa 5, a custa final

Não choramos. Somos felizes. Temos completado a Titan Desert 2010 em tandem. O mais difícil da história. A que tem mais a montanha. O que…

Descida a um novo oued por uma paisagem avermelhada de rocha e arenito.

Não choramos. Somos felizes.Temos completado a Titan Desert 2010 em tandem.O mais difícil da história. A que tem mais a montanha. A que nível mais elevado de participantes foi alcançado até à data. Também a que menos abandonos foi reivindicado. Esses dias, tivemos o carro vassoura perto muitas vezes. Quando encarábamos o porto do terceiro dia. Quando se volatilizó o prato grande. Quando só entrava o pinhão grande. Quando já nem aquele entrava. Mas quando superar os 15 km/h na descida, porque só podíamos colocar o prato pequeno…

Últimas subidas da Titan Desert 2010.

O quinto dia amanhece nublado. Nossas mentes também o estão. Depois de acordar cedo (já algo habitual para os nossos organismos), descobrimos que a saída foi adiada uma hora, porque a fase é significativamente mais curto do que os outros dias. Os que continuam na carreira são consideradas como finishers. São apenas 55 km com 450 metros de desnível positivo a ganhar. Um trâmite, sem dificuldade, em comparação com o dos últimos dias.

Serafim está mais animado do que ontem à noite, mas continua visivelmente irritado com a decisão da organização e, assim, transmite-o ao jornalista de Marca Josu no Japão: “Estou decepcionado com a decisão da organização”.

Link para a notícia e entrevista: http://php.marca.com/2010/05/11/ciclismo/1273596450.html

O

Após a entrevista, Josu escreve um artigo, e o batizou com um novo título: O saltador de obstáculos. Exatamente assim que nos sentimos nos dias de hoje. Mil e um obstáculos a cada dia. Mil tropeços e quedas. Mil traçadas. Mil crise superadas. Mil alegrias.

Com entusiasmo e emoção, partimos do último acampamento em direcção a Ouarzazate. O terreno é um sobe e desce constante que vai por caminhos em muito bom estado, se comparado aos outros dias. Somos otimistas, mas a fase, haverá que ganársela metro a metro.

Mais do que para orientar (há setas por todas as partes), coloco em prática o GPS para calcular exatamente os metros de desnível acumulado e ir cantándoles a figura de d. Afonso e Serafim, para que todos os dados são relevantes. Os 450 metros de ascensão acumulada, previstos para hoje podem parecer uma minucia, mas há que ter em conta o estado do tandem, que a estas alturas emite mais lamentos que um condenado às galeras. Serafim e Afonso também dão sinais de fadiga. De entrada saímos muito bem, marcando um ritmo elevado, mas logo começam os desencontros com a transmissão e Afonso se vê obrigado a fazer acrobacias com o desviador. O prato médio tem mais curvas do que uma pamela daquelas que levam os aristocratas nas revistas do coração e cada vez dá mais problemas para rodar sem fazer saltar a corda, que a essas alturas já que quase poderia servir para bater um recorde do Guinness de salto, a curvatura (se a corrida dura mais de um dia, teria que tirar alguns elos, pois cada vez vejo mais perto do solo).

Apoio incondicional nos postos de refresco para o tandem.

A paisagem muda de cor quando passamos um grande rio e se eleva por uma montanha de terra argilosa, muito vermelho, que esconde estratos verdes, amarelos, cinzentos… O tandem avança renqueante a poucos metros do carro vassoura. Em alguns repechos tentativa de ajudá-los com leves empurrões, puxando a alça da mochila de Serafim, mas é mais fácil desestabilizarles que fornecer-lhes um pouco de inércia extra.

A meio caminho, em uma das subidas mais duras, deparamo-nos com um grande grupo de carros Nissan estacionados às margens da estrada. Acho que são os VIP da Nissan, patrocinador da prova. Nos puxam fotos e nos lançam ânimos de ambos os lados da pista.

Ao coroar, espera-nos um longo planalto, que tende a descer. O vento dá de cara com o que o impede de deixar-se levar, e agora só nos resta um cartucho: prato pequeno e pinhão pequeno. É uma combinação pouco aconselhável porque a cadeia trabalha muito cruzada, mas é a única que nos permite ir a mais de 12 km/h em um terreno claramente favorável em que ir no prato médio e grande poderíamos duplicar a velocidade média.

Não é de admirar que, desde os carros vassoura (até 4 veículos nos escoltaron no planalto) nos cheguem ondas carregadas de amigáveis maldições. Eles têm paciência… Mas não menos que Serafim e Afonso, que já têm o rabo desfeito de tanto chocalho e cada minuto se lhes ela eterniza meio século.

Com os nossos amigos dos pontos de controle e postos de refresco, já na meta final.

Ao chegar à meta, depois de receber o fóssil de finishers por parte de Manu Chop, responsável pelos roteiros da Titan Desert, os membros da equipe de controles, postos de refresco e carro vassoura nos pedem uma foto de família. Eles nos têm incentivado todos os dias de forma incondicional. Entre foto e foto (tinha meia dúzia de câmeras), no entanto, um deles nos inquiere: “Agora íeis pisando em ovos!”.O pobre não se deu conta de que não poderíamos ir mais rápido com aquele desenvolvimento e o vento contra. Ao ensinar-lhe o tandem fica de pedra e sem palavras.

Comentários Facebook