Às voltas com a hipertrofia muscular transitória

“Tomara que meu corpo ficasse assim para sempre”. Quantas vezes você terá tido pensamentos semelhantes a este, ao acabar de fazer um treino de hipertrofia…

hipertrofia transitória“Tomara que meu corpo ficasse assim para sempre”. Quantas vezes você terá tido pensamentos semelhantes a este, ao acabar de fazer um treino de hipertrofia muscular? E a verdade é que manter o inchaço muscular típica após o exercício é, digo-o eu, impossível a curto prazo. Mas calma, para isso que estou aqui: para explicar em que consiste a hipertrofia transitória e de que maneira ele pode se transformar em crônica.

Dizemos que a hipertrofia transitória é o “inchaço” do músculo para o final do treino de força ou logo após o mesmo. É momentânea, passageira, dura pouco e é transitória. Quando você está treinando em intensidades submáximas (80-85% de sua força máxima) das fibras musculares envolvidas nos movimentos que estiver realizando sofrem uma destruição celular e, como conseqüência, fluidos saem de dentro da célula para o espaço intercelular (entre as células). Isto é o que provoca esse inchaço e falsa hipertrofia em essência. Pouco tempo depois de ter treinado, menos de 1h, o nosso organismo utilizado o equilíbrio interno e começa a recuperar os fluidos expelidos acima de dentro da célula e, por consequência, será o inchaço.

De qualquer forma, fique tranquilo. Ao final, o corpo sempre se adapta aos estímulos (exercícios) que recebe. Portanto, você terá uma hipertrofia crônica a base de muitas transitórias. A hipertrofia crônica é aquela que gera as adaptações seguintes:

  • Sarcoplasmáticas: Aumento da substância semifluida dentro das células musculares.
  • Miofibrilares: Aumento do tamanho e da criação de novas microestruturas dentro da fibra muscular. No final, quando treinamos, nós quebramos as microestrucuturas de uma fibra e, como adaptação, o nosso organismo cria mais para ocasiões futuras, se protege. Ao final, tenta sobreviver às agressões que vêm dadas pelo nosso treinamento. É importante ter claro que o que se criam são novas microestruturas dentro da fibra muscular, mas nunca se criam novas fibras musculares. A hiperplasia, a dia de hoje, podemos dizer que não existe em adultos.

Então, se você quiser aumentar de tamanho, treina e cada vez, vê gostando mais de esses inchaços no ginásio, mas se você quer que se torne crônica, permanente, não pares de fazê-lo pelo menos três vezes por semana e descansando de um dia entre treinos, mas de pouco servirão. E, é claro, não se esqueça de correr e fazer outras atividades, o corpo é um todo e a força não é a única qualidade física básica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *