Antes de correr, ficar em forma

Eu adoro uma frase de Diane Lee, um brilhante fisioterapeuta canadense, que diz “você não pode correr para entrar em forma, que deve estar em forma para…

Homem gozandoEu adoro uma frase de Diane Lee, um brilhante fisioterapeuta canadense, que diz “você não pode correr para entrar em forma, que deve estar em forma para poder correr”. A dia de hoje, talvez porque estamos acostumados a correr de jovens. Às vezes, a razão que nos vendem é que é a actividade perfeita para estar em forma. Em outras ocasiões, há pessoas que se calça os chinelos, porque decidiu dar uma reviravolta em sua vida e quer fazer alguma atividade. É comum ver em filmes ou anúncios de televisão para homens e mulheres bonitos e atléticos correndo por lugares agradáveis, com seus fones de ouvido brancos e sua roupa perfeitamente combinada. Um modelo que nos faz aspirar a ser como eles.

A realidade é que a maioria das pessoas que corre não deveria fazê-lo. Muitos têm excesso de peso, o que aumenta o impacto nas articulações, na maioria dos casos instáveis. Outros, contam com tornozelos, joelhos ou quadris mal vestidos que lhes predispõem a sofrer uma lesão ou, pelo menos, a um desgaste excessivo que lhes acontecerá fatura no futuro. É curioso quando lhes perguntas. Se dizem que não se passa nada, que dói, mas que com gelo e alguns anti-inflamatórios lhes passa em poucos dias. Verdade? Quem é que lhe acontece?

A regra número um é, “se dói, não o faças”. A corrida deve provocar, no pior dos casos, sensação de cansaço nos músculos, mas nunca desconforto nas articulações, e desaparecer quase nada mais terminar. Em caso de dificuldade apresentado nas articulações significa que, claramente, a primeira linha de defesa, o sistema muscular, falhou.

Minha recomendação é que você escolha outro sistema para melhorar o seu estado de forma, uma bicicleta, por exemplo, onde se reduza o impacto. Começa com um plano de condicionamento muscular em que se realizem exercícios para o trabalho de estabilidade articular, principalmente no joelho, quadril e coluna lombar. Para isso deverá trabalhar exercícios de core e de extensão de quadril e joelho de uma perna tipo lunges e peso morto para apenas uma perna.

Perde o peso que possa multiplicar o impacto sobre as articulações e então, só então, começa com uma corrida suave em fita. Acha que a musculatura ainda não será capaz de manter a estabilidade durante longas distâncias, e que o impacto é quase o mesmo em altas e baixas velocidades, pelo que deverá começar séries de não mais de 5 minutos a uma velocidade em que você se sentir mais confortável, e ir aumentando a duração. Entre as séries anda um minuto de 3-4Km/h para que esta musculatura estabilizadora descanse e se recupere e volte a tentar. No caso de continuar a surgir desconforto em alguma articulação, não se preocupe, não se acaba o mundo por não poder correr. Escolha outro sistema onde não tenha tanto impacto. Pensa que a melhor maneira de entrar em forma são os sistemas intervalados com séries de alta intensidade (HIIT), e para isso não é necessário ser capaz de correr. Nos sobra com uma bicicleta, elíptica, remo, piscina, ou mesmo de algumas escadas.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *