A motivação do espartano – Até a falha, e mais além

Neste post eu quero falar de team building. Ou seja, de como melhorar nossas habilidades esportivas em grupo. E o farei usando como exemplo o…

Motivação esprtano, neste post quero falar-vos de team building. Ou seja, de como melhorar nossas habilidades esportivas em grupo. E o farei usando como exemplo o computador Men’s Health que vamos compor Jordi Martínez, Júlio César Ortega, Dàlia Rajmil e Fito Florensa, junto a mim, para a próxima edição da Reebok Spartan Race, que terá lugar em Rivas-Vaciamadrid os próximos 30 e 31 de maio.

Se você ainda não conhece esta competição, trata-se de uma corrida extremamente exigente e espetacular, onde o participante deverá superar uma série de obstáculos que vai encontrando entre água e lama. Os obstáculos postos à prova a força e a resistência física e mental, bem como outras capacidades como a técnica, agilidade, precisão e… O objetivo: tirar o espartano que todos temos dentro de nós!

Somos um time empolgado e com a mentalidade de desfrutar de cada um dos emocionantes desafios que nos trará a competição, e com a finalidade de oferecer o máximo individual, sempre com o fim de beneficiar o grupo. Potenciar os nossos recursos psicológicos a nível individual e grupal é fundamental, já que o resultado final depende de uma interação eficaz entre nós. Cada um de nós é uma parte qualitativa muito importante dentro do grupo. Embora as contribuições individuais serão diferentes, o que conta é o resultado final do computador.

Ainda diria mais: embora o resultado final não seja o esperado, uma percepção positiva do grupo, em relação ao esforço e compromisso, pode ser considerado como uma conquista alcançada.

Esta coesão grupal é a máxima local, já que nos fará mais eficazes durante a tarefa, nos proporciona momentos agradáveis de convivência e nos chegará ao sucesso competitivo. Para isso, esta pode ser uma grande estratégia:

  • Do ponto de vista construtivo, é importante saber quem é o componente que tem mais experiência neste tipo de competições, quem é o melhor na corrida, quem é que controla melhor as provas, etc, Isso pode ajudar o desenvolvimento de funções, com a finalidade de motivar o grupo e que haja uma contínua colaboração entre os integrantes.
  • Comunicação. É importante compartilhar pensamentos e emoções relacionados com o treino, a competição e até mesmo preocupações pessoais. Assim podemos resolver possíveis problemas que vão aparecendo e, de passagem, para evitar complicações no futuro. É importante reforçar o feedback positivo: premiar verbalmente ou com gestos as ações corretas do companheiro é uma grande idéia.
  • Ter uma imagem de computador. Por exemplo: se encontrar antes de iniciar a competição usando gestos de cumplicidade, usar um “grito de guerra”, ter um ritual de celebração, quando se consegue superar uma prova, etc…
  • Definir e respeitar as regras. O grupo deve definir as suas próprias regras em diferentes contextos: durante o treinamento, competição e nas situações mais sociais.
  • O desenvolvimento social dentro do grupo é fundamental para saber o companheiro, e que cada vez haja um maior vínculo e entrosamento grupal. Comemorar juntos o aniversário de um componente ou uma bebida depois de um treinamento são estratégias fáceis de realizar.

BIBLIOGRAFIA

Chicau, C., Silva, C. e Palmi,J. (2012). Programa de intervenção psicológica para a otimização do conceito de equipe, 49-58. Extraído em 24 de Abril de 2015. www.rpd-online.com

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *