5 razões por que as calorias não são tão importantes

Desde há algum tempo, precisamente, desde o início do Desafio Mens Health com Frank Branco, não parei de ouvir perguntas relacionadas com as calorias. Tudo…

há algum tempo, precisamente, desde o início do Desafio Mens Health com Frank Branco, não parei de ouvir perguntas relacionadas com as calorias. Todo o mundo, tanto no blog como no fórum, gostaria de saber quantas calorias trazia a dieta do Desafio.

Pode ser que você não acredite, mas nem sei, nem me importa.

A idéia de que a ingestão calórica determina, ela sozinha, a quantidade de gordura que perdemos, é uma falácia.

O que me afirmar se vos dissesse que você poderia dar para dois irmãos gêmeos a mesma ingestão calórica, mas com dietas diferentes, e obter um ganho de peso e outro perder? E não me estou referindo a realizar planos de treinamento diferentes.

A teoria da ingestão calórica não se sustenta. Vejamos por que:

1.- A fonte importa. Existe Realmente alguém que pense que ele vai perder a mesma gordura ingerir 1.500 calorias, devido à ingestão equilibrada de fruta, legumes, carne e/ou peixe com sete Donuts por dia? Se dão a mesma quantidade de calorias, você não deve perder o mesmo peso ou gordura? Isso é a primeira coisa que teriam que considerar os fãs de calorias. E não costumam fazê-lo.

2.- O gasto importa. Existe uma tendência a ter em conta o consumo calórico e passar por alto o gasto. O que está claro é que, se uma pessoa realiza uma ingestão maior do que o gasto calórico, você vai ganhar peso. Enquanto que aqueles que gastarem mais do que ingieran, o perderão. Mas, você sabia que o tipo de alimentação condiciona o gasto? Uma dieta equilibrada pode aumentar substancialmente o consumo calórico do organismo, aumentando o seu desempenho, o que ajuda a perder gordura. Em contrapartida, uma dieta mal equilibrada e que não fornece os nutrientes essenciais, pode provocar o efeito contrário: diminui o gasto e dificulta a perda de peso.

3.- O fora das fórmulas. Hilariante, digno de um monólogo de Buenafuente. Quantos de vós tendes ido a um especialista , onde vos passam um questionário que perguntam quantas horas de exercício fazeis a semana? Em alguns casos, até mesmo dão a escolher entre menos de dois, entre dois e quatro, quatro e seis, ou mais de seis. Realmente? Não vos parece um pouco de riso? Você dá igual, então, a natureza do próprio exercício ou a intensidade em que se desenvolve? Será que é o mesmo de andar na fita 3 horas por semana que investir neste mesmo tempo, em um treinamento sério de força? O mais ridículo é, de acordo com este sistema, uma pessoa que realiza HIIT três dias por semana (o sistema de treino de cardio de alta intensidade que levamos a cabo o Desafio e nos permitiu perder 16Kg em 16 semanas) estaria realizando menos de uma hora semanal de exercício. Resultado: é considerado sedentário, sem gasto calórico extra derivado da prática esportiva. Eu disse, rindo.

4.- A perda de peso pode resultar em perda de gordura, músculo, ou água. Não obstante, parece que a balança seja infalível. Eu gostaria de falar de algo que está se tornando comum: a falsa magreza. Um fenômeno mais comum em mulheres que em homens… até agora. Tudo começa com a imperiosa necessidade de perder peso. Isso faz com que as pessoas se submeta a jejuns e outras animaladas. Vale a pena, perder algo de gordura, mas acontece que uma grande parte é massa muscular. O problema é que, com o tempo, uma volta a ganhar essa gordura, mas de massa muscular perdida não se recupera. Isso te obriga a voltar ao plano que tão bons resultados lhe trouxe, em um primeiro momento. Este processo se repete uma e outra vez, perdendo uma grande quantidade de massa muscular pelo caminho. Por fim, nos deparamos com um tipo que poderia ser considerado magro em termos de Índice de Massa Corporal (IMC), mas com um percentual de gordura superior a 30%.

5.- Metabolismo de emergência. O organismo se as conhece todas. Não podemos enganá-lo. Não paro de repetir que o médico o mais sábio deste mundo tem menos de 100 anos de experiência, enquanto que a nossa espécie leva superando todo o tipo de obstáculos e aprendendo e adaptando-se em todo o processo desde há milhões de anos. Você Realmente acha que vai poder se enganar com dietas armadilha? Faça isso e você acabará pegando e vai te custar uma barbaridade voltar a ganhar a sua confiança. O organismo tem uma capacidade incrível para manter a vida. Neste sentido, é capaz de adaptar o gasto calórico, tanto quanto julgar necessário no caso de você ver ameaçada a sua sobrevivência. É por isso que, em caso de restringir demais a ingestão calórica, especialmente no fornecimento de certos nutrientes essenciais para a vida, muitos deles presentes em gorduras, nosso sistema poderia chegar a ativar um processo metabólico chamado Metabolismo de emergência. Este processo consiste basicamente em gastar menos ainda. Sem se importar com as calorias que ingieras.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *