10 chaves para o sucesso neste 2015

Há uma forma de evitar que esses propósitos de ano novo não se despedacem, transformando-os em desafios pessoais. Empoderate e potencialos em 10 passos

Dois mil e quinzeComeça o ano e, muito provavelmente, se tenha fixado um objectivo para levar a cabo. Ah! Os propósitos de ano novo, nos carregamos de boas intenções e tentamos ilusão até que a nossa falta de compromisso nos empurra para a sarjeta. Na maioria das vezes, tal como vêm se vão, para evitar convirtámoslo um desafio.

A mudança pessoal começa com um desejo, mas é levada a cabo com empenho e dedicação. Eis um conjunto de etapas que permite que você converter a leveza de um propósito de ano novo, ou qualquer desejo em mente, em algo sólido a levar a cabo com certas garantias.

  1. Saber o que quer fazer. De verdade, não fique só com o recorrente ‘parar de fumar’ ou ‘correr’, indaga-se um pouco mais, lembre-se que é o que motiva você e você adiado. Algo significativo para dar profundidade e gerar um compromisso firme com você mesmo
  2. Saber por que você quer fazê-lo. Sem nenhuma dúvida, significará uma melhora para você, mas como e em que? Se você deixar de fumar se alejarás do primeiro fator de risco de infarto, mas Quais são as outras condições da sua vida mudará? De que forma vai beneficiar o seu ambiente mais imediato? Os detalhes torna-se uma motivação a mais para manter o alho. Faça uma lista com tudo o que possa tirar e leve-o sempre consigo, lê-la será um ponto de apoio em momentos difíceis.
  3. Descobrir a complexidade do desafio. Quer deixar de fumar, é só deixar de fumar? Como começar a praticar esportes é só aderir a um centro de fitness? Encontre-se consigo mesmos e realiza uma chuva de ideias com tudo o que implica, ordénalo, secuencialo em ações e, se necessário, busca apoio de terceiros para tudo aquilo que necessita.
  4. Com quem conta para apoiá-lo. Recorre à sua rede de confiança que ensina o passo que pretende dar. Discuti-lo com uma certa profundidade, a certeza de que seus amigos, família, conhecidos se agradarão e se ajudam através de sua empatia. Compartilhá-lo com os outros é uma boa forma de reforçar o compromisso e pode atuar como um fator de dissuasão no caso de se propor o abandono.
  5. Identificar os medos e dificuldades. O que vai ser o mais difícil de todo o processo? Tenho certeza que não é a primeira vez que tentar colocar em prática um desafio deste tipo e que em ocasiões anteriores você acabamento em abandono. Identificar esses riscos é um primeiro passo para entrar na guarda, quando chegar o momento de colocar as frentes através da filosofia de se preocupar é tratar.
  6. Medir. Para analisar a sua evolução, medir o progresso e para efectuar a medição, há que escolher a magnitude com que fazê-lo. Se você decidiu correr ou fazer exercício Como você vai registrá-lo? Com passos, distância percorrida, tempo dedicado, ou algo mais sofisticado, medindo calorias queimadas ou analisando a evolução do seu peso e percentual de gordura corporal…
  7. Traçar um plano. Chega a hora de enfrentar tudo aquilo que semeaste com a chuva de ideias e o seu passo-a-ações com os riscos e o fator social do desafio, especialmente se você deve recorrer à ajuda de um profissional. Prepara um plano para um mês de exibição pensando no que você vai fazer a cada semana. Se corre, a distância, a preparação na academia, a dieta a seguir cada uma das semanas, preparar pequenos desafios para ver que tal evolucionas
  8. Gamificate. Pequenos marcos, acompanhados de pequenas recompensas. Fazer exercício, sair para correr ou caminhar pode acabar se tornando algo rotineiro. Para não perder a motivação e continuar com o seu empenho confira suas conquistas através de dispositivos de registro, nota-se uma escala de prêmios pequenos que não vão contra o seu desafio.
  9. Começar. Planejamento e preparação são necessários, mas podem convirtierse em uma forma mais procrastinización, atraso auto-impostos. Se você já sabe o que, porque e como já tem a base, não espere mais e entre de cabeça, já vai corrigindo os detalhes sobre a marcha.
  10. Rever. Põe-te uma vez por semana para rever seu progresso, a reflectir sobre o que correu bem e o que correu mal, observe, checkealo mas não se culpabilices, há que detectar a falha sendo consciente disso, para voltar a tentar, não para que o negativo que se estende através das emoções te reator.

Bonus track – Persistir. Não deixe, nem tome-se pausas, nem descanse sua aplicação… Cada vez que surgir um momento de fraqueza revisa de novo o seu propósito e o porquê. Lembra da lista. Promete que vai continuar com isso 48 horas e, em seguida, ficar consigo mesmo para discuti-la… Mate as decisões irreflexivas e segure-se às convicções.

Para todos os que credes que o comentado representa um montão de tempo e dedicação gratuito tomaros alguns minutos para ler este post sobre GTD e planejamento natural. O sistema pode integrar o desenvolvimento de toda a preparação deste processo de uma forma funcional.

Uma vez dito isso, só vos resta ir todos!

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *