A importância de treinar os antagonista

O trabalho específico de uma seleção de músculos em resposta ao desequilíbrio de forças que afetam o alinhamento das articulações

Leg-curlÉ habitual observar como as pessoas em academias treina com mais ênfase, dando-lhe mais tempo e esforço para se aqueles músculos que considera que deve trabalhar em função de alguns cânones estéticos estabelecidos por não se sabe quem. Já teve gente que me disse que só queria trabalhar bíceps, ou abdômen ou qualquer outra parte do corpo, porque o resto ele lhe dava igual. Curiosamente ninguém me disse o mesmo das pernas ou de qualquer dos músculos hospedados nelas.

Infelizmente, para estas pessoas, além de não obter o desenvolvimento muscular do que gostariam, por uma mera questão hormonal a que tantas vezes antes falei neste blog, também estão colocando em sério risco a sua saúde, mais especificamente a de suas articulações.

O trabalho específico de uma seleção de músculos em resposta ao desequilíbrio de forças que afetam o posicionamento correto da estrutura, mais especificamente para o alinhamento das articulações, o que provoca um maior desgaste e sobrecarga em certos tecidos que, em muitos casos, acaba provocando lesões crônicas que não resolveremos até a articulação recupere seu equilíbrio. Não importa o frio que vos lanceis, os tratamentos de fisioterapia aos que vos sometáis, ou os anti-inflamatórios que fazes, enquanto não solucionéis este desequilíbrio a dor voltará e o pior de tudo: de vós mesmos, vos tereis provocado por um treinamento negligente.

Exercícios multiarticulares como os movimentos olímpicos e qualquer de suas variantes, entre muitos outros, envolvem uma quantidade de músculos em todos os planos, evitando este tipo de problemas, mas, no entanto, são os grandes esquecidos em todas as salas de treinamento. Em seu lugar, costumamos encontrar as máquinas mal denominadas “de força” apenas funcionais, mas que, por isso, se você, tem cerca de estofados super. Ultimamente tenho visto até mesmo máquinas que se contam o tempo sob tensão e o repouso, como se cada um não possa ter o seu próprio relógio.

Desde 1988, graças aos estudos realizados por Baratta, conhece-se o importante trabalho da musculatura antagonista no processo de estabilização da articulação. Seus estudos mostraram que sua coactivación é determinante para manter estável a distribuição de pressões sobre a superfície da articulação, evitando possíveis lesões e problemas a longo prazo decorrentes do excesso de desgaste. Uma tensão incorreta por parte da musculatura antagonista, juntamente com os músculos excessivamente hipertrofiados aumenta drasticamente, segundo este pesquisador, o risco de ferimentos graves. Daí a importância do equilíbrio estrutural no projeto todo plano de treino.

Se olharmos para a preparação física dos esquiadores, um dos esportes que mais força e resistência necessária em quadríceps, a maior parte de seu trabalho de condicionamento físico fora de temporada se fazem os isquiotibiais, assumindo praticamente 100% durante a própria época. Que sentido tem isso, especialmente se nos baseamos no princípio de especificidade? A razão é clara. A prática do próprio esporte em nível de competição, mantém os níveis de força na musculatura agonista (quadríceps), perdendo-se pouco a pouco, conforme avança a temporada, a força em isquiotibiais em caso de não trabalhá-los, o que aumentaria progressivamente o desequilíbrio entre a cadeia anterior e posterior, aumentando drasticamente o risco de lesão conforme avança a temporada. Nossa o desastre que se pode montar, se pensarmos que, por causa da própria natureza do esporte é precisamente o grupo quadríceps que temos de trabalhar e não o antagonista.

Além disso, se nos concentramos apenas em aspectos relacionados com o próprio desempenho, também é fundamental trabalhar o antagonista para evitar estancarnos. O organismo é sábio, e, embora não contendas com isso, não vai deixar você se machucar facilmente. É por isso que, no caso de se dispor de uma musculatura antagonista não capacitada para garantir o movimento o organismo tem a capacidade de limitar o impulso nervoso, evitando que continue progredindo e aumentando o risco de autolesionarte.

Comentários

A hipocrisia, contra o doping

¡Hipócritas antidoping!

doping

“Não temos nada a esconder, nada do que fugir. É sua palavra contra a nossa. Valorizo as nossas palavras, a nossa credibilidade”(Armstrong em resposta às acusações de doping de seu compatriota Floyd Landis).

William James (1842-1910), considerado o pai da psicologia americana, disse que todos, desde que somos pequenos, até o final de nossos dias, procuramos o amor do ambiente que nos rodeia (sociedade-mundo). E é que quando somos pequenos, estamos rodeados por norma geral, de amor. Nossos pais, tios e avós se encarregam de nos lembrar diariamente o bonitos, fortes e inteligentes que somos. Mas, quando saímos do nosso mini-cenário para ir para o colégio e, posteriormente, trabalhar, nos damos conta de que há muitas pessoas no planeta mais inteligente, forte e bonita do que nós. Conseguir o amor de indivíduos que formam uma sociedade não é tão fácil, especialmente porque todos nasceram com a idéia de ser os mais bonitos, fortes e inteligentes.

Atletas atuais/ Gladiadores modernos:

Quando uma criança começa a se destacar em um esporte, ele mesmo (não em todos os casos), seus pais (infelizmente, em muitos casos), e alguns treinadores (em muitos casos), empurra e o empurram para uma plena dedicação. É uma oportunidade de ser querido por todos, de ser um gladiador bem sucedido da era moderna e de se retirar a vida a uma idade cronológica relativamente precoce. E digo a idade cronológica, pois articular e emocionalmente, muitos deles, que ficam gravemente abalados por toda a vida. Claro está que se refletem adequadamente de seu “fracasso” têm uma oportunidade única de ter sucesso em qualquer aspecto da vida. É uma boa escola vital o ter competido no alto rendimento em idades precoces e, se você tiver sorte, você pode reabilitar de mútliples lesões por excesso de treinamento, quando seu corpo não está completamente formado. Os gladiadores atuais cumprem a mesma função que os gladiadores da antiga Roma. Lembram-se daquela locução latina? : “Panem et circenses” (Pão e Circo). Uma grande invenção dos governos totalmente corruptos da Roma antiga. Uma estratégia política da maior baixeza para manter o povo distraído, para que esquecessem os seus direitos, para conseguir os votos do povo pobre e canalizar seu mal-estar. O equivalente de hoje em dia seria uma cerveja, comida lixo e um bom jogo de futebol que ocupa nossas conversas da semana, até o próximo jogo. Hoje já não nos dão nem uma semana, com várias copas que se jogam no meio da semana. Evidentemente, os primeiros promotores e interessados neste tipo de eventos são os próprios governos. Hoje em dia sabemos que os clubes de futebol endividados com Finanças, são perdoados, ano após ano, para o bem da classe política.

Hipocrisia e Doping:

Nós Nos queixamos dos salários dos jogadores de futebol, ciclistas, pilotos de grande prêmio de Fórmula 1, tenistas e corredores, entre muitos outros. O que preço pagam por chegar a cobrar essas quantidades? Cada vez queremos mais records, mais desempenho e mais espetáculo. Além disso, queremos show no dia “x” na hora “x”, sem se interessar muito pelo caminho, até chegar lá (o sofrido treinamento). O que Nos interessa mais, a fim de que o caminho até o fim? Aí deixo a pergunta, mas o tão criticado Maquiavel já falava isso: “O fim justifica os meios”. Hoje em dia já se fala do doping genético, dificilmente reconhecível pelas entidades antidoping. Um passo a mais do já conhecido EPO, hormônio que permite a você aumentar seus glóbulos vermelhos. Talvez nas Olimpíadas de Londres já houve alguns atletas dopados geneticamente. Tendo aumentado o seu desempenho pela implantação de células-mãe ou por modificação do DNA muscular por uma infecção bacteriana”. Embora os seus efeitos não estão provados, a certeza de que há alguém está tentando. Mas também poderíamos falar de recordes mundiais batidos nas recentes Olimpíadas de Londres, onde os atletas competiram com sungas de última tecnologia.-, calçados melhorados e um longo etc. Será que isso não ajuda a render mais? A verdade é que nenhum super-material pode substituir um bom treino, mas também ajuda.

Doping e Fórmula 1

Todos concordamos que o piloto de Fórmula 1, apoiado por uma equipa rico, tem o melhor carro e maiores chances de ganhar. Mas o triste este assunto é que em todos os esportes acontece o mesmo. Atletas do primeiro mundo ganham, em muitas ocasiões, os do terceiro mundo, porque podem pagar um bom doping irreconhecível, bom material, bom time de formadores e bom de todo. Triste, mas é verdade.

Falemos claro

A sociedade avança elevação é lógico e, chegados a este ponto, legalizar, em vez de proibir pode ser a melhor opção. Quando algo é legal, está regulado e controlado por profissionais especialistas, é menos nocivo e corre menos riscos. O que é perigoso é dirigir-se ao submundo desenfreado do mercado negro e continuar com a batalha perdida contra o doping. Ou se legaliza o doping ou preparar-se para viver sem novos recordes e, portanto, sem espetáculo. Eu abogo pela segunda, mas: como alguém pode acreditar que isso é possível? A própria sociedade precisamos estes records, fato que os governos se encarregam de que assim seja. Melhor para eles que estejamos distraídos, mais manipuláveis seremos. De todas as formas, já que desde pequenos nos educam para desfrutar de um bom espetáculo esportivo e nos torcedores de qualquer clube, inclusive, a entrar em discussões absurdas se atacam nosso clube e, para que isso continue acontecendo, precisamos de atletas dopados cada vez mais potentes rompendo com todas as barreiras físicas e técnicas desenvolvidas e por haver. Poderíamos chegar a levantar começar do “0”, sem armadilhas ou aspectos nocivos para a saúde dos atletas, mas alguém veria esse tipo de espectáculos. A verdade é que eu gostaria.

A sociedade precisa de recordes, o atleta deve doparse se quer superar certas barreiras e, se você for pego, é duramente criticado pela sociedade. O que é este jogo do peixe que morde a cauda?

Se vos interessa que aprofunde mais em substâncias e casos concretos de atletas, deixar-me saber nos comentários e eu vou escrever mais. Entendo que seja um tema que possa criar alguma controvérsia, mas eu espero que você tenha entendido a mensagem que eu quero dar. Apoio ao esporte e saúde, sempre.

A gordura como aliada – Diário de um ex-gordo

Hoje em dia é muito comum consumir alimentos livres de gordura, eliminar todo o tipo de gordura de nossa dieta ou comer alimentos com densidade calórica elevada devido ao seu teor em gordura, por medo de ganhar peso e engordar. Duramente muitos anos, os alimentos com alto teor de gordura foram demonizados, tanto por meios de comunicação como por coletivos como os formadores/nutricionistas. Mas hoje sabemos que este é um conceito errado e o que não…

gordura-aliada-menshealthOK

Hoje em dia é muito comum consumir alimentos livres de gordura, eliminar todo o tipo de gordura de nossa dieta ou comer alimentos com densidade calórica elevada devido ao seu teor em gordura, por medo de ganhar peso e engordar. Duramente muitos anos, os alimentos com alto teor de gordura foram demonizados, tanto por meios de comunicação como por coletivos como os formadores/nutricionistas.

Mas hoje sabemos que este é um conceito errado e o que não o saiba ainda no mundo da nutrição anda muito perdido.

Conceitos como que a gordura animal é uma fonte super perigoso de gordura para o nosso sistema cardiovascular, que geram câncer, como se o demônio se tratasse, continuam em vigor hoje em dia quando, e me desculpe pelos detratores de gordura animal, as moléculas são formadas estas gorduras animais são as mesmas que as provenientes de fontes vegetais ou que a própria gordura que armazenamos em nosso corpo. Com isto não quero dizer que é o mesmo que comer banha de porco que nozes, obviamente. Mas quase todos teremos ouvido falar dos diferentes tipos de gordura que existem e que dentro de gorduras saturadas, por exemplo, não existe tanta diferença, sejam da origem que forem.

De fato, sabemos hoje que o demonizado ovo agora parece não ser tão ruim, já que o colesterol dietético não afeta o colesterol sanguíneo. Isto quer dizer que, se a sua dieta permite comer a quantidade de gordura suficiente para que se vírgulas meia dúzia de ovos por dia, o colesterol que inclua através desses ovos, não tem que ser um problema em suas análises, o problema simplesmente pode ser que seja uma quantidade excessiva de gordura… De fato, o ovo é um alimento maravilhoso como te explicarei mais adiante por vários motivos.

Vou dar-lhe uma série de motivos por que você incluir uma certa quantidade de gordura na dieta, porque, Atenção!, falamos que a gordura é nossa amiga, mas isso não quer dizer que devamos passar de branco para preto.

  1. Uma produção hormonal e desenvolvimento corretos. Para mim, a razão mais importante. Sem gordura ou colesterol da dieta, nosso sistema hormonal não poderá funcionar de forma adequada, já que os hormônios, e uma fundamental em concreto, a sua testosterona, tão importante para a perda de gordura e aumento de massa muscular, não pode ser criado se não existe um mínimo de ingestão de gordura e colesterol em nossa dieta. Um dos alimentos essenciais neste ponto é o ovo, e não a clara apenas, mas o ovo inteiro, já que é um alimento excelente por sua contribuição em proteína e vitaminas, além do aporte de gorduras muito valiosas para o desenvolvimento muscular.
  1. A gordura ajuda na absorção de vitaminas lipossolúveis. Sem ela, vitaminas como a A,D,E E K não absorveriam corretamente e são fundamentais para o correto desenvolvimento de uma boa saúde.
  1. A gordura é muito saciante. Alimentos com alto teor de gordura e sentir-se cheio antes. Também significa que se você seguir uma dieta para ganhar massa muscular e você está muito saturado de comida, mas você precisa aumentar o volume calórico de sua dieta, o que você pode fazer é incluir algum alimento de alto teor de gordura que lhe permita em um pequeno volume de comida, aumentar grande quantidade de calorias.
  1. As gorduras têm baixo impacto sobre a resposta da insulina, a qual está envolvida diretamente na maioria dos processos de obesidade tanto em crianças como em adultos, além de ter certa relação com processos de deterioração cognitiva decorrente da resistência à insulina causada pelo consumo de dietas ricas em carboidratos simples durante tempo prolongado.
  1. Há que ter em conta que a tão demonizada gordura saturada da carne vermelha e alimentos de origem animal é muito semelhante ao tão na moda agora óleo de coco, que basicamente contém gordura saturada, além de triglicerídeos de cadeia média). Às vezes você se coloca à ingestão de alimentos e parar de tomar outros sem nenhum critério mais do que seguir tendências e é aí onde vêm muitos dos problemas nutricionais que se cometem… Esta visto que a gordura saturada não é causador de doenças consumida em quantidade razoável. O que que é essa quantidade? Hoje é difícil dizer com exatidão, mas não necessariamente o menos do que 10% do que está estabelecido pela legislação de saúde…
  1. Existem evidências científicas de que há muitos nutrientes envolvidos na proteção contra o câncer em alimentos de origem animal. Depois de muitos anos ouvindo falar sobre as frutas e os vegetais como alimentos protetores, foram encontrados nutrientes como o selênio ou o zinco, o mais abundante e biodisponíveis em alimentos de origem animal.

Não falo de incluir a gordura de forma indiscriminada, a partir de agora em sua dieta, mas se você perder o medo alimentos, como os frutos secos, abacate, ovos, salmão e um longo etc, que favorecerão uma melhora tanto física como psicológica.

Espero que gostem e tenham um ótimo fim de semana.

Comentários

A força da equipe – Titãs do Deserto

Na quinta-feira à tarde, coloquei em prática um desses planos de poupança que algumas publicações promovem, sob a denominação de “sair por menos de…

Na quinta-feira à tarde, coloquei em prática um desses planos de poupança que algumas publicações promovem, sob a denominação de”sair por menos de 5 euros” e ainda que eu encontrei várias opções, finalmente me decanté por mais saudável: a apresentação das atividades do clube de montanha Montanhas Sem Barreiras. Foi na histórica sede do centro Excursionista de Catalunya (carrer Paradís, 10, Barcelona), de visita mais do que recomendável (ao lado da catedral de Barcelona), até diria que “obrigatória” para todos aqueles que amam os edifícios com soleira.

Na reunião Miguel Ángel Gavião (na foto, à esquerda) expôs a trajetória do clube, que começou em 2007, fazendo diversas expedições de alto nível em que os escaladores eram ele mesmo e Valentim Ruíz, ambos com amputação de uma de suas mãos. Então decidiram ampliar suas iniciativas para aproximar a montanha a outras pessoas com deficiência, organizando passeios na serra de Madrid, uma vez por mês, com guias voluntários, mas mantendo algumas atividades de alto nível que também tomam parte alpinistas cegos que já tinham feito expedições a grandes picos em temporadas anteriores. Face a 2011, procuram novos atletas, mais jovens e com novas ideias, para que se unam ao computador.

Depois, desfrutamos de algumas imagens espetaculares de suas peripécias pelo meio mundo (Cho Oyu, Aconcagua, etc.) e também algumas fotografias das saídas mais ao alcande de todos pela serra de Guadarrama, para mais tarde entrar em um “intenso, mas necessário debate”, em que alguns dos presentes opinaram sobre como se devem coordenar todas as actividades de montanha dirigidas a pessoas que têm alguma dificuldade de mobilidade ou diferença sensorial.

Após o debate e as evidentes diferenças de parecer, aparentemente, se reconciliaram-se as diferentes correntes e insistiu-se a partir de várias organizações em tomar nota dos números de telefone e endereços de e-mail de todos para começar a trabalhar de uma forma mais coordenada.

Conclusão (e paradoxo) do dia:
Que na era da informação, a internet, os telefones de terceira (ou quarta) geração, a gente siga saber sobre que há outras pessoas que procuram pessoas como elas para fazer atividades em reuniões que são realizadas em salas com paredes, teto, assistentes, cadeiras, mesas, quadros…

De momento, dentro de pouco tempo poderemos ver no programa da TVE À beira do impossível dois capítulos dedicados à expedição do Cho Oyu de Montanhas Sem Barreiras, em 2009, que voltaram sem a cimeira. Ao final da palestra, Miguel Ángel se responsabilizava do fiasco do Cho Oyu, pela “falta de experiência em uma montanha tão alta”. No entanto, não se rendem e esta primavera vão ao McKinley, no Alasca, a mais alta montanha da América do norte.

Comentários Facebook